Sem admitir reserva, Ganso já fala em trabalhar para jogar com Kaká

Camisa 10 do Tricolor também negou que o clube esteja sofrendo maior pressão para ser campeão depois de grandes contratações

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Ganso é o único meia de criação do São Paulo após a saída de Jadson
Site oficial/Divulgação
Ganso é o único meia de criação do São Paulo após a saída de Jadson

Prestes a reiniciar o Campeonato Brasileiro pelo São Paulo, o meia Paulo Henrique Ganso projeta uma parceria com Kaká, contratado por empréstimo pelo clube até o final da temporada. Por enquanto o camisa 10 vai ter de esperar. Kaká faz um trabalho de aprimoramento físico e não tem dada certa para estrear. Pode ser no próximo sábado (19) contra o Chapecoense, no Morumbi.

E, quando Kaká jogar, Ganso corre até mesmo o risco de ser reserva do jogador. Mas por enquanto não admite essa possibilidade, embora reconheça que Kaká será titular.

"Não sou só eu que pensa no Kaká como titular. Ele vai ficar só seis meses no clube e todos pensam dessa forma. Eu vou trabalhar para jogar ao lado dele. Quem vai decidir é o Muricy", disse Ganso, após o treino na manhã desta segunda-feira (14), na Barra Funda.

Ganso também negou que o clube esteja sofrendo maior pressão para ser campeão por causa da contratação de Kaká e do atacante Alan Kardec, além da volta do zagueiro Rafael Toloi (que estava na Roma).

"Com esse elenco, temos de pensar grande. Não apenas em vaga na Libertadores. Vamos batalhar pelo título do Brasileiro e da Copa do Brasil", admitiu o meia.

Ganso deve ser titular no primeiro jogo do São Paulo após mais de 40 dias de descanso por causa da Copa do Mundo. Nesta quarta (16), a equipe enfrenta o Bahia, em Salvador, pela décima rodada do Campeonato Brasileiro. O time tem 16 pontos e é o quarto colocado.

SELEÇÃO

Ganso foi econômico nas palavras ao analisar a participação brasileira na Copa do Mundo, que terminou na quarta colocação. Foi goleada na semifinal para a Alemanha por 7 a 1 e perdeu da Holanda por 3 a 0, no sábado.

Nem sequer comentou se poderia ter contribuído, caso fosse convocado por Luiz Felipe Scolari. "A competição já acabou. Não conseguimos o hexacampeonato. Ficamos na semifinal. Então, temos de trabalhar bastante e tem muita coisa para fazer", limitou-se a dizer.

Ao ser questionado se um treinador estrangeiro seria o caminho para a seleção, optou por uma analise curta novamente.

"Dependendo do treinador que possa vir, seria diferente. Espero que o escolhido possa aprender rápido nossa cultura e ajudar a seleção brasileira".

Por fim, ao ter de comentar se, com uma possível renovação na seleção, voltará a ser convocado, disse que o foco é só o São Paulo.

"Vou trabalhar para voltar a jogar o Brasileiro e para colocar o São Paulo na ponta da tabela. Estando bem aqui, quem sabe eu possa voltar para a seleção", concluiu.

Leia tudo sobre: gansosão paulokakámeio-campoataquetricolor paulistacopa do mundo