Imprensa argentina critica desempenho de Messi na Copa

Atacante já está acostumado a comentários mesmo com tanta dedicação; "bronca" é por prêmio não merecido de melhor jogador

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

douglas magno
undefined

 Messi já viu esse filme. Apesar dos elogios da imprensa do país ao espírito guerreiro mostrado pela seleção argentina contra a Alemanha, na final da Copa do Mundo, sobraram críticas ao jogador eleito melhor da competição pela Fifa.

Emissoras de rádio, programas de debate esportivo e até Diego Maradona criticaram o desempenho do atacante na reta final do Mundial.

"E Leo [Messi] daria o céu, mas quando não é justo e os marqueteiros querem fazê-lo ganhar algo que não ganhou, se torna injusto. Eu vi como ele não queria receber aquele prêmio", disse o camisa 10 campeão mundial de 1986.

Messi foi eleito o melhor jogador da Copa por painel de especialistas da Fifa. Para Maradona, o escolhido deveria ter sido o meia James Rodríguez, da Colômbia.

A espetada de Maradona foi discreta perto do que aconteceu em parte da mídia argentina. Em programas de esportes da TV América e da TyC, por exemplo, Messi foi acusado de desaparecer nos momentos em que a Argentina mais precisou dele.

Não foi o único criticado pesadamente. Rodrigo Palacio, que entrou durante o segundo tempo da decisão, foi chamado de "máquina de perder gols" pelo comentarista Toti Pasman, do "Show del Fútbol" da TV América.

Mas as críticas a Lionel também foram severas. Ele fez quatro gols na primeira fase da competição. A partir das oitavas de final, não anotou mais nenhum. É verdade que o técnico Alejandro Sabella optou por uma formação mais defensiva, com medo de vulnerabilidades da retaguarda da equipe. Isso sacrificou seu principal astro.

Em emissoras de rádio como a La Red, ouvintes entraram para dizer que "Messi é um grande jogador e só" e que "não amarraria as chuteiras de Diego Maradona".

São críticas que ele já ouviu antes. Durante a Copa América de 2011, realizada na Argentina, a histeria quanto ao desempenho de Messi chegou ao nível máximo. Foi acusado de ser indiferente ao hino e de não ser argentino e sim, espanhol, entre outras coisas.

Leia tudo sobre: messimelhorjogadoratacanteargentinaseleção argentinacopa do mundocríticasimprensapalacioglsmaradona