A festa da música barroca

Juiz de Fora abre hoje a 25ª edição do maior festival de música antiga e colonial do país, em programação de 14 dias

iG Minas Gerais | Deborah Couto |

Orquestra Barroca. Regente Luís Otávio Santos e seus músicos são ponto alto do festival da cidade
Festival de Musica Antiga
Orquestra Barroca. Regente Luís Otávio Santos e seus músicos são ponto alto do festival da cidade

Começa hoje em Juiz de Fora um dos eventos musicais mais reconhecidos e premiados nacionalmente, o Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga. Promovido pela Pró-Música, instituição da Universidade Federal de Juiz de Fora, o evento está na sua 25ª edição.

“Por acontecer há 25 anos consecutivos, o festival já é um episódio cultural aguardado pela cidade e oferece concertos gratuitos para toda a população”, diz o vice-presidente da Pró-Música, Júlio César de Souza Santos. São 14 dias do evento que trazem mais de 30 concertos. Entre eles, estará o do cravista holandês Jacques Ogg, que nesta edição fará um recital inteiro dedicado a Bach. Integram ainda a programação gratuita as apresentações do Helsinki Baroque, da Finlândia, do Quinteto Villa-Lobos, da Orquestra Petrobras Sinfônica, do Coral Jovem do Estado de São Paulo, da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais e da Orquestra de Câmara Sesiminas.

O ponto alto da festa, no entanto, é a apresentação da Orquestra Barroca do Festival, que lança, neste ano, seu 15º disco, com tiragem de 3.000 unidades. Dirigido pelo regente Luís Otávio Santos, o grupo grava, pela primeira vez no Brasil, músicas de Beethoven interpretadas com instrumentos de época. Formada exclusivamente para o festival, por músicos brasileiros e estrangeiros convidados, ela começa a ensaiar dez dias antes do evento.

“A Orquestra é o ícone do festival e pioneira na execução de música barroca no país e na América Latina. É responsável por difundir esse tipo de repertório no Brasil, especialmente Beethoven e Mozart em violino barroco, e tem feito um grande avanço com esse instrumento”, conta Souza Santos.

Cursos. Desde junho estão abertas inscrições para cursos de cravo, oboé, piano, clarineta, fagote, trompa, entre outros instrumentos. “Recebemos alunos de todo o país, apesar de uma grande parcela ser destinada a alunos de Juiz de Fora por mantermos uma tradição”, diz Júlio César de Souza Santos. São 700 vagas para aulas com professores vindos dos Estados Unidos. Eles também se apresentarão com seus instrumentos.

Haverá ainda bate-papo sobre a apresentação programada. Todas as noite, durante os 14 dias do evento, às 19h30, o professor Rodolfo Valverde fala sobre o programa que será executado e sobre o grupo ou artista que estará se apresentando.

Para se informar sobre a programação consulte o site www.promusica.org.br/

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave