Vídeo chamando ativistas para protesto, mobiliza apenas a polícia

Na noite deste domingo, militares começaram a deixar a Praça da Liberdade, já que não houve protesto

iG Minas Gerais | Natália Oliveira/ Joana Suarez |

Viaturas da PM aguardam manifestantes na praça da Liberdade
Joana Suarez / Web repórter
Viaturas da PM aguardam manifestantes na praça da Liberdade

Uma hora e meia após o horário marcado para os protestos contra a Copa do Mundo, nenhum manifestante chegou a praça da Liberdade, na região Centro-Sul de Belo Horizonte neste domingo (13). A Polícia Militar que ocupou a praça às 16h, começou a deixar o local por volta de 19h30. Cinquenta e cinco viaturas, a cavalaria e dois ônibus lotados de militares se preparam para o protesto, mas o que se viu na praça foi apenas o público habitual do local, praticando esportes e os casais de namorados. 

"Viemos com o efetivo suficiente para um evento que exigia a nossa presença e não tivemos nada na cidade hoje (neste domingo). A única notícia que nos mobilizou que foi o vídeo do whatspp", afirmou a coronel Cláudia Romualdo, comandante do policiamento na capital. A coronel afirmou que vai diminuir o policiamento na praça, mas vai manter alguns homens no local. Assim como em vários outros pontos da cidade. 

Segundo ela será feita uma reunião nesta semana para fazer um balança da atuação da polícia durante a Copa do Mundo, tanto em prevenção para protestos quanto nos dias de jogo. "Acredito que tivemos uma atuação positiva. Nossa estratégia fez com que nenhum fato fora da normalidade ocorresse", destacou a coronel. 

Convocação

Até este domingo não havia nenhum evento oficial marcado no Facebook, como ocorreram nos últimos protestos. A reportagem de O TEMPO entrou em contato com as lideranças do Tarifa Zero, Brigadas Populares, Comitê dos atingidos pela Copa (Copac), Assembleia Popular Horizontal. Nenhum deles afirmava que participaria do protesto divulgado no WhatsApp.

Apenas um vídeo divulgado no WhatsApp durante a semana indicava que haveria uma reunião a partir das 18h deste domingo, após o jogo da Final, nas cidades de Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.

“Por favor, compareça conosco com a camisa do Brasil pra lutar mais uma vez por nós contra a corrupção, contra a manipulação e contra o sistema, juntos por um último legado”, diz o vídeo narrado por um jovem de sotaque carioca, com imagens de torcedores, jogos e a bandeira juntos a fotos de problemas na área de saúde, segurança e outras em alusão às eleições.

As imagens começaram a serem divulgadas assim que o Brasil levou a goleada da Alemanha, para chamar a população e a torcida às ruas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave