Fabio Cannavaro não poupa Felipão: "Técnico precisa estudar"

Ex-zagueiro campeão mundial analisou derrota brasileira apara a Alemanha

iG Minas Gerais |

Zagueiro criticou derrota brasileira para a Alemanha
Reprodução/Twitter
Zagueiro criticou derrota brasileira para a Alemanha

A goleada alemã sobre o Brasil, por 7 a 1, no Mineirão, fez com que diversas críticas fossem levantadas à equipe e ao técnico Luiz Felipe Scolari. Capitão da Itália na conquista do Mundial de 2006, Fabio Cannavaro analisou o setor defensivo da equipe brasileira e também criticou Felipão. 

“Se não tem jogadores, fica complicado. Mas ali dá para ver a mão do treinador. É ali que o treinador deve dar a orientação. Por exemplo, a Alemanha, no jogo contra o Brasil, dá para ver que eles estudaram o Brasil. O técnico precisa estudar. Dois ou três gols vieram de um passe do fundo para a frente. Eles sabiam que o meio-campo do Brasil não cobria a defesa e fizeram gol assim. Se virmos o segundo gol da Holanda, o erro do David Luiz colocou a bola no meio e não tinha nenhum meia. Isso quer dizer que às vezes, quando você não tem bons jogadores, é ali que você vê a mão do treinador. Você precisa estudar o adversário e entender qual é o ponto fraco, onde você pode atacar o adversário”, disse ao canal Sportv.

O ex-zagueiro é contra culpar jogadores individualmente e chama atenção para o quanto a defesa ficou abatida após levar 14 gols na Copa, sofrendo dribles e cometendo erros bobos de posicionamento.

“Na defesa, quando você leva 14 gols, é difícil analisar. Não se pode dizer que a culpa é de uma pessoa. O sistema foi abordado de maneira errada. Individualmente, eles podem ser talentosos, mas não trabalharam como equipe. Mas não só os defensores, porque é muito simples dizer Marcelo, Maicon ou David Luiz fizeram uma Copa desastrosa. Eu acho que a questão de não se integrar no time fez falta. Eles levaram gols muito facilmente. Por exemplo, ver Thiago Silva levar um corte de Robben não é normal. Eles perderam confiança e não estavam trabalhando como grupo. Quando isso acontece, qualquer pequeno erro, você acaba pagando. Eu hoje estava na praia jogando futevôlei com Lilian Thuram e estávamos trabalhando como um time. Se eu errasse uma intervenção eu sabia que ele estava atrás. Eu acho que isso num time é importante, a confiança entre os companheiros”, explicou.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave