Belo Horizonte entra na rota de boates de luxo do país

Investimento da mais nova aposta da cidade chegou a R$ 5 milhões; clientes querem serviço VIP

iG Minas Gerais | ThaÍs Pimentel |

Seleto. Dedicada ao mercado de luxo e para quem é fã de sertanejo, boate em Nova Lima está completando um ano de funcionamento
Wood's/Divulgação
Seleto. Dedicada ao mercado de luxo e para quem é fã de sertanejo, boate em Nova Lima está completando um ano de funcionamento

Belo Horizonte tem agora “um quê” de Nova York. Cerca de R$ 5 milhões foram investidos na boate Provocateur, nova aposta da noite da capital mineira. A filial da casa nova-iorquina, inaugurada há uma semana, pretende explorar o mercado de luxo da cidade. As entradas podem chegar a custar R$ 200, dependendo da festa. A boate Provocateur já é a mais cara de BH. No cardápio, bebidas que incluem marcas como a vodca Belvedere, que pode custar R$ 169 a garrafa, e o champanhe Veuve Clicquot, chegando até a R$ 387,90.

“Trabalho há 22 anos na noite e posso te falar que, nos últimos três anos, houve um crescimento dessa demanda por atrações exclusivas. Até então, apenas São Paulo e Rio de Janeiro tinham clubes como esse. Agora, a capital mineira começa a explorar um pouco mais o segmento”, conta o empresário Marcelo Diogo, que, junto com Hugo Almeida e Pedro Cruz, abriu a casa, que fica no bairro Santo Antônio, na região Centro-Sul da capital.

A Wood’s, também dedicada ao mercado de luxo, está completando um ano de funcionamento no Vale do Sereno, em Nova Lima, na região metropolitana. Destinada a um público fã de música sertaneja, a casa já existe em outras 12 cidades. Um lounge para 12 pessoas sai pela bagatela de R$ 3.000. Mais de 120 mil pessoas frequentaram a boate em um ano de funcionamento. Para entrar, o cliente não paga menos que R$ 120. “Aqui as pessoas podem acompanhar shows mais intimistas de estrelas, como Michel Teló, em um ambiente exclusivo e sofisticado”, disse um dos sócios, Alexandre Pampolini.

Aquecido. O empresário Marcus Buaiz, marido da cantora Wanessa, pretende inaugurar em breve uma filial da Royal Club – sua casa luxuosa, já famosa em São Paulo – onde funcionava a Cinco, em Nova Lima. Na capital paulista, os ingressos não saem por menos de R$ 125. A expectativa é que o preço não seja diferente em Belo Horizonte.

Outra casa que será lançada pertence justamente a um dos ex-donos da Cinco, fechada em maio. Lucas Vereza comandou a casa por cinco anos ao lado do irmão Bruno. De acordo com eles, o planejamento era que o local funcionasse apenas nesse curto período de tempo. Agora, preparam-se para lançar a Vitta, ainda sem data de inauguração. O lounge, localizado no Lourdes, terá capacidade para 150 pessoas.

“A gente pensou em fazer um ambiente menor, mais exclusivo”, aponta Lucas. Para ele, o mercado de luxo tem crescido muito nos últimos anos, mas é preciso capricho. “O cliente quer serviços de excelência. Tem muito mais espaço para ambientes exclusivos que para baladas grandes e mais em conta”, defende.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave