Sem fé na seleção, torcedores deixam de assistir jogo do Brasil

Chateados com o revés vexatório diante da Alemanha, torcedores preferiram fazer outras coisas ao invés de acompanhar o duelo com a Holanda

iG Minas Gerais | JULIANA GONTIJO |

Se com a seleção brasileira vencendo, já há pessoas que não se interessam pelos jogos da Copa e não deixam de manter os seus hábitos, imagina, depois do resultado do penúltimo jogo, quando o Brasil perdeu por 7 a 1 para a Alemanha. Neste sábado, durante o jogo da seleção contra a Holanda,  moradores de Belo Horizonte aproveitaram para fazer atividades ao ar livre na pista da avenida José Cândido da Silveira, no bairro Cidade Nova, região Nordeste. O armador Marcos Oliveira, 32 anos, é um deles. Ele conta que quase não assistiu aos jogos da Copa.

"Eu prefiro sair para pedalar. Não deixo de fazer outras coisa por causa dos jogos", disse.

Entretanto, ele confessa que se fosse a final com o Brasil, ele deixaria o exercício para depois. Para o placar do jogo, ele apostou no 2 a 1 para a Holanda.

A recepcionista Clélia Arruda, 50 anos, também aproveitou a tarde para caminhar. "Fiquei desmotivada para ver o jogo depois que o Brasil perdeu para a Alemanha", ressaltou. Assim como Marco Oliveira, ela não acreditava na vitória da seleção brasileira. E apostou em um placar de 5 a 0 para a Holanda. "Agora, se fosse a final do Brasil, eu estaria em casa assistindo", observou.

Cleuber Custódio Vaz Ferreira, 24 anos, motorista de ônibus, trouxe seu cão para encontrar a sua futura namorada. "Se o Brasil estivesse na final, eu estaria vendo o jogo. Depois do 7 a 1, eu fiquei chateado e decidi não ver o jogo de hoje", frisou. Ele também apostou na derrota do Brasil. "Vai ser 3 a 1 para a Holanda", disse.

Enquanto alguns optaram por fazer exercícios físicos, o taxista José Eustáquio Gonçalves da Silva, 64 anos, foi à missa no Santuário Arquidiocesano São Judas Tadeu, no bairro da Graça, também na região Nordeste de Belo Horizonte. "Eu não deixo de ir à missa, de fazer o que tenho que fazer por causa de futebol", disse. Para ele, a Holanda sairia vitoriosa da partida, marcando dois gols, enquanto que a seleção brasileira, nenhum.

O padre Joacir conta que, normalmente, durante os jogos do Brasil, a igreja fica mais vazia. "Se o jogo começa às 17h, a missa das 16h acaba sendo influenciada, e o número de fiéis é reduzido. E não é só na Copa, dia de clássico de Cruzeiro e Atlético também acontece o mesmo".

Ele conta que em uma das partidas do Brasil chegou a suspender a missa. "Não teria quórum. Hoje, foi diferente. Já que muita gente ficou decepcionada com o jogo anterior", analisou.

Depois da celebração, ainda havia alguns fiéis, a maioria mulheres, na igreja rezando.

Leia tudo sobre: copa do mundoto nem aibrasilholandagoleada