Basanta lembra tropeço argentino em 1990: “queremos uma nova história"

Defensor argentino tinha apenas seis anos na última vez que a Argentina chegou a uma final de Copa; derrota para os alemães não sai da memória

iG Minas Gerais | JOSIAS PEREIRA |

Jogador trabalhou com Alejandro Sabella em 2009, quando o treinador comandava o Estudiantes
Reprodução Facebook
Jogador trabalhou com Alejandro Sabella em 2009, quando o treinador comandava o Estudiantes

Rio de Janeiro - Em 1990, o defensor argentino José Basanta tinha apenas seis anos. A idade pode parecer pouca, mas o agora jogador se lembra bem da derrota sofrida para a Alemanha, na final da Copa do Mundo daquele ano. Um gol de pênalti, anotado por Andreas Brehme, aos 40 minutos do segundo tempo, lançou por terra o sonho argentino de conquistar o tricampeonato mundial.

Vinte e quatro anos após aquele fatídico dia 8 de julho de 1990, em Roma, a seleção albiceleste tem a chance de exorcizar os fantasmas daquela data e acrescer mais um capítulo de glórias no futebol mundial.

“Nós queremos escrever uma nova história. Nos doeu muito aquela final. Vamos estar muito focados, queremos que a história amanhã (domingo) seja muito positivas e traga alegria para todos”, afirmou Basanta.

Para sair do Maracanã com o tricampeonato, os argentinos já possuem o ‘caminho das pedras’. “É com humildade, trabalho, esforço, que você consegue chegar lá. Se perguntar a todos os argentinos, o sonho é o mesmo. É um jogo a ser jogado. Estamos motivados, focados, para que tudo corra bem. Vamos dar o melhor de nós para levar este sonho a todos o povo”, concluiu o jogador. 

Alemanha e Argentina se enfrentam pela grande decisão da Copa do Mundo neste domingo, às 17h (de Brasília), no Maracanã. As duas seleções já se enfrentaram em finais em duas oportunidades,. com uma vitória para cada lado. Esta será a oportunidade do tira-teima.