Com uma ‘boa sensação’, Schweinsteiger vê Alemanha amadurecida

Meio-campista ainda descartou que exista uma pressão pela conquista mundial que não vem há 24 anos; maior preocupação do jogador é que o time não perca o foco

iG Minas Gerais | JOSIAS PEREIRA |

undefined

Rio de Janeiro - Nas duas últimas Copas do Mundo, a seleção alemã bateu na trave. Em 2006, em casa, o prêmio de consolação foi o terceiro lugar após uma semifinal épica frente aos italianos. Quatro anos depois, na África do Sul, a mesma sina. Os germânicos voltaram a ocupar o honroso, mas não suficiente, posto. Agora, no Brasil, a expectativa é que a história seja diferente. A Alemanha está a um triunfo de erguer o tetracampeonato mundial. O feito poderá coroar o trabalho de uma geração.

“Nós jogamos uma final e perdemos para a Espanha (Eurocopa 2008), chegamos em fases importantes da Copa. E faltou pouco. Eu vejo que a seleção está sólida. Estou com uma boa sensação. Precisamos levar toda as nossas habilidades ao campo”, apontou Schweinsteiger, que esteve presente nas duas últimas Copas do Mundo.

“Acho que nós temos muitos jogadores que participaram da Copa de 2010. Os jogadores são mais experientes. Desde 2005, estamos em alto nível. Nós vemos a mudança individual em cada jogador nos últimos dez anos. A habilidade característica dos alemães dará um sentido diferente ao jogo deste domingo”, completou o meio-campista.

O alemão ainda descartou que exista uma pressão pela conquista mundial que não vem há 24 anos. A maior preocupação do jogador é que o time não perca o foco. “Estamos ansiosos. Não há pressão. Muitos jogadores já estiveram em finais importantes. Temos que pensar no trabalho e na nossa função amanhã. É preciso de foco”, concluiu.