Mosaico de Montenegro

iG Minas Gerais | Renato Quintino |

Restaurantes italianos estão em toda a parte em Kotor
Paulo Campos
Restaurantes italianos estão em toda a parte em Kotor

Unindo sabores que poderiam estar ao mesmo tempo na Itália e nas Europas Central e Oriental, a gastronomia de Montenegro é um verdadeiro mosaico com suas polentas e polpetas, pães vienenses, doces turcos, kebab e goulash.

Ponto importante de antigas rotas comerciais, entre o leste e o oeste e o norte e o sul, entre a Europa e o Oriente, Montenegro tem um mix cultural que se expressa na composição e na variedade de sua gastronomia.

A pequena dimensão do país não impede que hajam grandes diferenças dentro de suas regiões. Em Montenegro, as influências vêm de todo lado: da costa do Adriático, com a fartura de peixes e frutos do mar; do leste, com a influência turca; ao norte, com um forte acento húngaro e austríaco.

As semelhanças e influências da cozinha italiana são visíveis no Adriático com seus pães de qualidade, carnes curadas, embutidos, queijos e na produção de vinhos. Da polenta veneziana à polpeta (almôndega) da Emilia-Romagna, a pegada italiana com qualidade é forte.

Tradição gastronômica completamente diferente, no leste prova-se de burekas, kebabs e baklavas pela influência turca, enquanto no norte degusta-se goulash húngaro, pães vienenses, crepes, rosquinhas e geleias croatas.

O azeite de oliva é dominante em toda a parte dentro da melhor tradição mediterrânea, assim como o é a carne de cordeiro preparada de diversas formas, com destaque para o tradicional método ‘ispod’ (cozida embaixo das brasas) com cogumelos selvagens e ervas aromáticas.

Quem vai a Montenegro não pode deixar de provar o kajmak (queijo que vem do creme de leite salgado fervido), o domaca kobasica na zaru (salsichas caseiras assadas no forno a lenha), projanica (bolo com base de queijo fresco) e os peixes tradicionais, como a carpa e a trucha defumada, e o famoso caranguejo de skadar.

Vinhos

Com antiga tradição na produção de vinhos, hoje revitalizada, o Merlot se destaca, e o tinto de Vranac é tradição, assim como o são a Niksic (cerveja local), Rakija (espécie de brandy feito com uvas brancas) e os típicos licores de ameixa.

Depois do fim da Iugoslávia, em 1991, e da separação da Sérvia, Montenegro, há oito anos, voltou a ser um país independente, mas mantém as marcas de sua história na pluralidade de influências e nos muitos sabores.  

ONDE COMER EM KOTOR

Konoba Scala Santa: Na praça Trg od Salate, em frente à entrada perto do portão sul

D.O.O. Max e Alex: Bar de vinhos. A 200 m da entrada principal. Stari Grad 465.

Kotor Wine Rooms: Loja que organiza degustações de vinhos locais. Ao lado do D.O.O.

Bastion: O primeiro prédio depois do portão norte na entrada da cidade antiga. Stari grad 517. bastion123.com

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave