"Sua pobre", diz mulher em vídeo durante discussão em shopping do Rio

O vídeo da briga ganhou as redes sociais e foi compartilhado mais de 140 mil vezes; nele, uma mulher insulta a outra a chamando de pobre e de ralé, e diz ser da classe dominante

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

undefined

Um vídeo disseminado pelo WhatsApp e que acabou ganhando as redes sociais já chegou a mais de 140 mil compartilhamentos em apenas dois dias. Postado no Facebook na última quinta-feira (10), o vídeo mostra uma discussão entre duas mulheres em um shopping do Rio de Janeiro, onde uma delas é agredida verbalmente e chamada de "pobre" e "ralezinha" por uma mulher que diz ser psicóloga e se auto denomina como "classe dominante".

A discussão levantada pelo vídeo vai além da briga entre as classes e eleva a alcunha "coxinha" a níveis alarmantes, beirando a falta de respeito. As imagens não deixam claro o que começou a briga, mas mostram a "psicóloga" extremamente alterada chamando uma mulher que tentava comer  no estabelecimento para a briga. "Você é pobre, sua pobre. Ralezinha. Vai encarar?", foram apenas alguns insultos dirigidos à consumidora.

As mulheres não foram identificadas, e a que recebeu os impropérios da "classe dominante" ficou boa parte do tempo calada, se atendo a responder que não conversa com maluco. Em determinado momento, ela pediu para chamar a gerente e recebeu como resposta da "psicóloga": "você pode dar emprego pra ela? eu posso!".

Ela também chegou a dizer que se este país estivesse em guerra civil ao invés de Copa, estaria melhor. Entre outras pérolas, a "psicóloga" arrancou gargalhadas de quem estava presente no estabelecimento ao dizer que era psicóloga. Além de dizer que é da classe dominante e que está falando a favor de todos, a mulher apontou empreendimentos do qual o pai e a família são associados, como forma de argumento.

Além destes, os insultos foram direcionados também ao país em que ela vive, que foi chamado de "merda", e ao jovem que filmava a briga, que recebeu gratuitamente insultos homofóbicos. De acordo com relatos de funcionários, a "psicóloga" não consumiu nada no local, apenas bebida, e a discussão teria começado por um motivo fútil.

No Facebook, a descrição do vídeo é: "Um amigo acabou de mandar pelo WhatsApp, essa pessoa humilha uma mulher em um restaurante no Barra Shopping, a chamando de "pobre" o tempo todo, utilizando de uma pseudo influência que seu dinheiro poderia ter para tentar intimidar outra pessoa. E pra não bastar, no fim do vídeo ela tem uma atitude homofóbica para com meu amigo ao perceber que está sendo filmada. "

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave