Felipão elogia Rússia, mas lembra dos problemas com homofobia no país

Câmera da Fifa capta áudio e transmite conversa do treinador com membros da entidade do futebol no gramado do Mané Garrincha

iG Minas Gerais | GUILHERME GUIMARÃES E DANIEL OTTONI |

Promessa acontece após surgirem boatos de que a Rússia não seria mais a sede dos jogos
Reprodução
Promessa acontece após surgirem boatos de que a Rússia não seria mais a sede dos jogos

BRASÍLIA (DF). Era um bate-papo totalmente informal, Felipão, Thiago Silva e membros da Fifa conversavam sobre assuntos diversos e sequer perceberam que uma das câmeras do estádio gravava e transmitia tudo o que era dito para o centro de mídia do Mané Garrincha.

Entre um tema e outro, Felipão, após comentar sobre a organização da Copa do Mundo na Alemanha, em 2006, considerada por ele uma das mais organizadas até hoje, falou também da Rússia, próxima sede do Mundial, em 2018. 

No entanto, o assunto não foi diretamente sobre futebol quando tratou de falar da próxima sede da Copa: "A transmissão dos Jogos (Olímpicos de Inverso)de Sochi foi algo esplêndido, muito organizado", comentou o treinador, que ainda não sabe do seu futuro e se conseguiria permanecer mais quatro anos no comando da seleção brasileira até o próximo Mundial.

Apesar dos elogios rápidos sobre a Rússia, Felipão lembrou de um problema crônico ocorrido em Sochi, muito pela cultura do país-sede dos Jogos de Inverno: a homofobia.

"Houve muita organização por lá, mas o  (Vladimir) Putin tem aquele problema com os gays lá", comentou Felipão com membros da Fifa.

Nos Jogos de Sochi, assuntos relacionados à homossexualidade ganharam cunho político, por conta de leis polêmicas adotadas na Rússia. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave