Nascimento do poeta Pablo Neruda é celebrado no Chile

Comemorações abrangem caminhada, ato do PC chileno e leitura de poemas em Isla Negra

iG Minas Gerais |

Veneração. Neruda permanece ainda muito lido e os museus dedicados a ele, muito visitados
AE/ARQUIVO
Veneração. Neruda permanece ainda muito lido e os museus dedicados a ele, muito visitados

SÃO PAULO. Enquanto a morte do poeta Pablo Neruda, em 1973, segue envolta numa nuvem de mistério, o nascimento do prêmio Nobel, em 1904, é celebrado neste fim de semana em Santiago, no Chile, de três formas distintas.

Festejando seu legado como ícone, a Fundação Pablo Neruda, que cuida do acervo material e da obra do poeta, realizou ontem a caminhada de um holograma do autor de “Canto Geral” pelas ruas da capital.

Já sua faceta política, a do comunista engajado que foi toda a vida, será lembrada em ato do PC chileno.

Por fim, o aspecto poético e humano de sua herança será revisto numa leitura de poemas na casa de Isla Negra, onde ele viveu e permaneceu enterrado até sua recente exumação.

“Buscamos integrá-lo à cidade, fazendo-o dialogar com escritores chilenos jovens. Além do holograma, haverá uma instalação com poesias de Neruda num trem do metrô”, disse Fernando Sáez, diretor da fundação.

Além do jogo lúdico, a instituição cuida da exibição dos manuscritos de 20 poemas inéditos recém-encontrados pela entidade. Escritos à mão, com a tinta verde que o poeta acreditava simbolizar a esperança, os textos serão expostos ao público enquanto se prepara a sua publicação.

Um dos familiares que estarão presentes na leitura dos poemas em Isla Negra, o sobrinho Rodolfo Reyes reforça que as investigações sobre a morte do poeta prosseguem. “Há muitas perguntas por responder. A primeira perícia realizada em seus restos aponta que ele tinha câncer de próstata. Mas isso não é conclusivo”, diz. “Montou-se, então, uma nova comissão de médicos e cientistas, afinal, esta não é uma doença tão letal no estágio em que estava. Ainda é preciso esclarecer a identidade do médico que teria estado com ele nas últimas horas, isso misteriosamente desapareceu dos registros”, conta Reyes à reportagem.

A polêmica sobre a morte de Neruda renasceu em 2011, quando o ex-chofer do escritor, Manuel Araya, deu uma entrevista dizendo que o poeta gozava de bom estado de saúde na semana em que morreu. Parte da família sustenta que ele foi envenenado pelos médicos da clínica Santa María, local onde depois ocorreriam outras mortes suspeitas de opositores ao regime militar chileno.

Além de esquerdista convicto, Neruda era próximo de Salvador Allende (1908-1973) e, após o golpe que o derrubou, em setembro de 1973, planejava ir ao México. Segundo os que defendem a hipótese de um assassinato, o general Pinochet (1915-2006) temia que o poeta se transformasse numa voz contra o regime no exterior.

Saiba mais

No livro “Sombras sobre Isla Negra”, Mario Amorós reúne evidências sobre a possibilidade de assassinato de Neruda.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave