Para artilheiro alemão, Argentina será tão dura quanto a França

Para Müller, final será tão difícil quanto os jogos contra Argélia e França

iG Minas Gerais | Folha Press |

Thomas Müller foi um dos entrevistados e mostrou bastante descontração antes da final contra a Argentina
Divulgação/DFB
Thomas Müller foi um dos entrevistados e mostrou bastante descontração antes da final contra a Argentina

Vice-artilheiro da Copa com cinco gols, Thomas Müller teve uma breve amnésia em relação às derrotas que sofreu para o argentino Lionel Messi na final do domingo, no Maracanã, às 16h.

Primeiro disse que jamais perdera para o craque do Barcelona. Segundos depois, alertado, citou duas derrotas, ambas em amistosos, num total de três confrontos que tiveram. A única vez em que venceu Messi foi na goleada de 4 a 0 nas quartas de final da Copa-2010, quando ele marcou um gol.

"Conheço bem Messi, já o enfrentei várias vezes, pelo Bayern de Munique ou pela seleção. Só tenho lembranças boas dele, é um grande jogador, mas acho que nunca perdi para Messi, né? [perguntou a Lahm e ao porta-voz da seleção, sentados ao seu lado, que o lembraram] Ah, no meu primeiro jogo pela seleção, em março de 2010. Sim, eu perdi, num amistoso em Munique. E em outro amistoso em Frankfurt em 2012", disse Müller.

"Temos que nos prevenir para que Messi nem sequer receba a bola, fazendo um jogo compacto. Mas não é apenas ele, temos de nos defender de todo o time argentino", completou.

Um jornalista alemão perguntou se Müller temia os reflexos espirituais da "arma secreta argentina", o papa Francisco. "É difícil enfrentar as forças da natureza. Mas diria que vamos dar tudo de nós nesse jogo e que, honestamente, não acredito que teremos um 5 a 0 no primeiro tempo. Acho que será um jogo duro, como foi contra a Argélia e a França", respondeu o artilheiro.

O lateral e capital Philipp Lahm, também presente à última entrevista dos alemães na Bahia, comentou o momento que vive a equipe às vésperas da final.

"Vivemos um grande otimismo e expectativa. Temos sorte de ter um dia a mais de descanso [que os argentinos]. Vamos dar a vida para vencer. Há certa tensão, uma enorme expectativa, estamos ardendo para levar o troféu de volta para a Alemanha."

Questionado se havia pensado numa comemoração especial para levantar a taça em caso de vitória, brincou: "Meu jeito especial de celebrar será ir para cama e dormir cedo."

BRIGA DE GALO

Para alguns jogadores, como o volante Schweinsteiger, a proximidade da final não parece trazer tensão, muito pelo contrário.

Imagens captadas pela TV Globo na manhã desta sexta mostram o craque no mar em frente ao resort que hospeda o time, brincando de "briga de galo" -jogo que normalmente causa dor nas costas a quem carrega seu parceiro no ombro, como fez Schweinsteiger, aos risos.

A Alemanha realizou um treino fechado em Santo André, litoral sul baiano. Na noite desta sexta, o time embarca de Porto Seguro para o Rio. No sábado, véspera da decisão, treinará às 15h em São Januário, para poupar o gramado do Maracanã.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave