Rio: Cristo Redentor tem obra de restauração concluída

De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, o Cristo Redentor era atingido em média por seis raios por ano

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Iphan lança candidatura da Cidade Maravilhosa 
ao título da Unesco de patrimônio mundial
Andre Penner/Associated press
Iphan lança candidatura da Cidade Maravilhosa ao título da Unesco de patrimônio mundial

Os obras de restauração do Cristo Redentor iniciadas há seis meses foram concluídas na manhã desta sexta-feira (11). O trabalho começou pelos polegares, que haviam sido atingidos por raios no fim do ano pasado. Além da restauração das pastilhas de pedra-sabão, os captores de para-raios foram ampliados, o sistema de proteção de descargas atmosféricas foi intensificado, bem como a blindagem eletrostática.

De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais,  o Cristo Redentor era atingido em média por seis raios por ano.

Ao todo, foram gastos R$ 2 milhões, investimento fruto de uma parceria entre a Arquidiocese, que administra o monumento, e a Pirelli, marca de pneus.

A obra também trouxe uma novidade: quatro câmeras foram instaladas na cabeça do Cristo, a 38 metros de altura. Uma delas vai fotografar visitantes que poderão postar as imagens nas redes sociais. Uma câmera filmará o local, enquanto a outra será acionada com zoom para fotografar as pessoas. As demais funcionarão 24 horas, focadas na Baía de Guanabara e na Lagoa Rodrigo de Freitas.  

Leia tudo sobre: Cristo RedentorrestauraçãoRio de JaneiroBrasilpara-raios