Segurança da final da Copa contará com 26 mil homens

Para a parte interna do Maracanã, a Fifa contratou 1.500 seguranças particulares

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Uma reunião, na tarde dessa quinta, entre o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, o secretário de Segurança do Rio, José Mariano Beltrame, e os responsáveis pela segurança nos governos estadual e federal para a Copa, além da Fifa, definiram o esquema para a final do Mundial, no próximo domingo. Serão 26 mil homens entre policiais civis, militares, federais, rodoviários federais e da Força Nacional nas ruas do Rio. Destes, 10 mil são policiais militares. "Nós manteremos o padrão de excelência de segurança pública que nós temos tido desde o início da Copa do Mundo", destacou o ministro Cardozo, ao deixar a reunião no hotel Sofitel, zona sul do Rio. Na parte interna do Maracanã, a Fifa contratou 1.500 seguranças particulares. A atenção maior dos seguranças será para tentar evitar brigas entre torcedores e a invasão do gramado. Na final, em 2010, entre Espanha e Holanda, na África do Sul, um grupo de torcedores invadiu o gramado após o fim do jogo. A Fifa quer evitar qualquer invasão este ano. Alemanha e Argentina decidem a Copa, domingo, no Maracanã.

Leia tudo sobre: copa do mundosegurançafinalargentinaalemanha