Gasto com propaganda cresce até 850% em ano eleitoral

No primeiro semestre de 2014, deputados mineiros usaram R$ 2,2 milhões para divulgar mandatos

iG Minas Gerais | Tâmara Teixeira |

Plenário. Parlamentares se reuniram para votar, em média, uma vez por semana no primeiro semestre
almg/divulgação - 16.6.2014
Plenário. Parlamentares se reuniram para votar, em média, uma vez por semana no primeiro semestre

Em ano eleitoral, os deputados mineiros não têm economizado na divulgação dos seus trabalhos. No primeiro semestre deste ano, o crescimento dos gastos da verba indenizatória com a rubrica “divulgação da atividade parlamentar” salta aos olhos. Os representantes do Legislativo chegaram a usar a verba até 850% a mais do que no mesmo período de 2013.  

Juntos, os 77 deputados gastaram R$ 2,2 milhões neste ano. Mais da metade (40) aumentou os gastos com propaganda, ou com “prestação de serviço ao eleitor”, como eles preferem chamar. Destes, só dois não irão disputar a reeleição ou uma vaga na Câmara Federal.

Nos seis primeiros meses de 2013, Célio Moreira (PSDB) gastou R$ 6.300. Neste ano, já foram R$ 59.966: 851% a mais. A maior parte foi para arcar com serviços gráficos.

O investimento de Maria Thereza Lara (PT) para a divulgação do mandato cresceu 360%. Os R$ 5.064 de 2013 saltaram para R$ 23.314 neste ano. No caso do colega de partido Adelmo Carneiro Leão, o montante subiu 237%, saindo de R$ 13.274 para R$ 44.755.

Gustavo Corrêa (DEM) e Elismar Prado (PT) não gastaram nenhum centavo na rubrica no primeiro semestre de 2013. Já em 2014, o primeiro investiu R$ 52,2 mil, e o segundo, R$ 8.900.

O gasto com divulgação faz parte da verba indenizatória. Por mês, o limite é de R$ 20 mil para cada deputado, sendo até R$ 10 mil para divulgação de mandato (como produção de jornais e revistas do parlamentar ou pagamento de anúncios em rádio, jornal, sites e TV). Como este ano é eleitoral, este gasto está vetado desde 1º de julho – 90 dias antes da disputa.

Gustavo Corrêa nega que o incremento tenha a ver com a proximidade da disputa nas urnas. “No segundo semestre do ano passado também gastei. O dinheiro é para o informativo do gabinete. A Casa fiscaliza muito. Se configura propaganda, não é permitido”, afirmou o democrata.

Célio Moreira se surpreendeu com o incremento de 850%. “Tem certeza? Não há nada de ilegal. São jornais de prestação de contas ao eleitor”, afirmou.

Já Adelmo Leão diz que incrementou a divulgação, pois esse tipo de gasto é proibido no segundo semestre. “Aumentamos a abrangência e a divulgação dos jornais. Trabalho no Estado inteiro. É muito material”, disse.

Produtividade. Os deputados mineiros terão de usar criatividade para preencher os periódicos de divulgação do mandato. No primeiro semestre deste ano, foram 22 sessões plenárias com votação, uma média de quatro por mês. No mesmo período, aconteceram 78 reuniões de comissões, média de 13 por mês.

Parcial

Prazo. O gasto com publicidade neste ano pode ser ainda maior para 34 deputados que não disponibilizaram os valores dos últimos meses. Eles têm 90 dias para prestar contas.

Publicidade parlamentar Balanço. Dos 77 deputados, 40 aumentaram os gastos com divulgação entre 2013 e 2014, 26 reduziram e um não gastou com a rubrica neste ano. Outros quatro mantiveram o mesmo valor. Seis ainda não declararam nenhum gasto de 2014. Câmara Federal. O gasto com a divulgação dos mandatos dos 513 deputados federais subiu 46% neste ano. Nos cinco primeiros meses de 2014, foram usados R$ 17,7 milhões, contra R$ 12,1 milhões no mesmo período de 2013.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave