Tucanos responsabilizam Planalto por dívida crescente

iG Minas Gerais | Larissa arantes |

Os tucanos rebateram ontem a crítica sobre o endividamento de Minas Gerais com a União e culparam o próprio governo federal pelo fracasso na renegociação do débito. “Lamentavelmente, durante todo esse período, o governo não aprovou, quedou-se inerte, não tomou as medidas necessárias, e Minas Gerais paga alguns bilhões de juros”, destacou o candidato ao Senado pelo PSDB, Antonio Anastasia.  

Anteontem, durante agenda de campanha, o petista Fernando Pimentel criticou a crescente dívida do Estado. “Minas tem o maior endividamento de todos os Estados”, disse.

O candidato tucano ao Executivo estadual, Pimenta da Veiga, também respondeu à declaração dada pelo rival. “Entendo que é mais uma exploração que querem fazer de um governo organizado. Acho engraçadíssimo falar sobre dívida, alguém que é aliado ao governo federal, que acumulou uma dívida impagável, dívida econômica e social”, disparou, em referência ao petista Fernando Pimentel.

Resposta. O governo do Estado informou, por meio de nota, que o projeto de lei que prevê a redução dos encargos da dívida (que varia de 6% a 9% ao ano) para 4% ao ano ainda tramita no Congresso Nacional. O indexador do débito também seria alterado. “Essas mudanças amenizariam a trajetória futura do endividamento dos Estados e dos municípios”, diz o texto.

A nota afirma ainda que, “devido aos encargos cobrados pelo governo federal, o valor total chegou a R$ 67,406 bilhões em 2013, com crescimento de 349,3%, apesar de o Estado ter pago R$ 29,487 bilhões neste período”. 

Rio das Velhas

Dados. Pimenta destacou os investimentos em esgotamento sanitário e na recuperação do rio das Velhas e da lagoa da Pampulha feitos pela gestão tucana, também em reposta às críticas do PT.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave