Virada do rock no Mercado das Borboletas

Encerrando o Conexão BH e em homenagem ao Dia Mundial do Rock, bandas fazem shows entre 12h de sábado e 8h de domingo

iG Minas Gerais | LUCAS SIMÕES |

Uruguai. De fora, banda Crysler mostra mistura de funk e rock n’ roll alternando violões, guitarras e samplers
GONZALO Monteriño/divlugação
Uruguai. De fora, banda Crysler mostra mistura de funk e rock n’ roll alternando violões, guitarras e samplers

“Uma das poucas coisas que só o rock faz: juntar um monte de maluco animado e suado, pulando num espaço apertado para bater cabeça por horas a fio”. É baseada na definição do guitarrista Filinto Fil, que uma verdadeira maratona de rock n’ roll vai baixar na capital mineira neste fim de semana. Aproveitando o Dia Mundial do Rock, comemorado em 13 de julho, desta vez no domingo, o Mercado das Borboletas recebe 32 artistas entre 12h de sábado e 8h do domingo, para um festival de bandas independentes, com presença de músicos de São Paulo, Pernambuco, Rio de Janeiro e até Uruguai.

O organizador do Conexão BH, Maurilio Kuru Lima, garante que, pelo menos durante 20 horas, guitarras estarão plugadas em amplificadores fazendo muito barulho no Mercado das Borboletas. “A ideia é não parar mesmo. Porque o rock é assim: direto, sem papas na língua, doido. E 90% são bandas de Minas com som autoral e covers, mas conseguimos trazer gente de fora também”, diz.

No palco, o som de covers veteranos como o Seu Madruga, interpretando clássicos do AC/DC, além da brasilidade do bloco carnavalesco Alcova Libertina, que revisita clássicos do rock com tamborins e surdos. Entre os principais shows autorais está o da banda mineira Lupe de Lupe, que se auto-intitula parte da “Geração Perdida de Belo Horizonte”. No palco, eles apresentam sua mistura de noise-pop e rock alternativo, com canções melancólicas do último disco, “Distância”, lançado em novembro do ano passado. “Estamos ensaiando músicas novas que devem entrar no show, além da versão do (Bob) Dylan de ‘Idiot Wind’. A gente tá muito empolgado com a sonzeira que queremos fazer no palco”, diz Vitor Brauer, vocalista e guitarrista da banda.

Além dos mineiros, o Mercado das Borboletas ainda recebe o rock experimental do recifense Juvenil Silva, as guitarras progressivas da banda carioca Mavericks Punk, e ainda a presença de peso da banda uruguaia Crysler, que mostra a mistura de funk, rock e reggae dos seus dois discos, “El Gran Bonsái” e “Bastones y Ciegos”.

Destoado da maratona de rock n’ roll, o guitarrista paulistano Filinto Fil mostra canções instrumentais do projeto “Fil and the Guitar Gun”, presentes no seu primeiro disco autoral, “Living In The Old West”, totalmente inspirado nas trilhas de filmes do velho oeste. O show gratuito acontece na Casa do Jornalista, a partir das 20h. “Vou trazer uma guitarra que é mais americana, mas coloco uma pegada brasileira. O fato é que o som de western é muito envolvente”, avalia o músico.

LEGADO. Após quase um mês de programação, o Conexão BH se despede com o saldo de 130 shows em duas semanas de apresentações espalhadas pelo Parque Municipal, Mercado das Borboletas, Mercado Distrital do Cruzeiro, além da Casa do Jornalista, Sesc Palladium e a Estação BRT Move São Gabriel – este último, espaço inédito dentro do festival. Ao todo, cerca de 210 mil pessoas devem passar pelo evento até domingo. Para Maurilio Kuru Lima, organizador do Conexão BH, o maior legado desta edição foi reviver espaços poucos usados na cidade, além de investir no conceito ecológico do copo retornável, deixando de utilizar pelo menos 60 mil copos descartáveis durante todo o festival. “Ano que vem pretendemos explorar o Parque Ecológico da Pampulha, que poderia receber eventos de pequeno porte – estamos em conversações com a Prefeitura. A ideia é casar a ideia de sustentabilidade, que ganhou força com a ótima experiência de cada um ter seu copo próprio sem ser descartável”, diz. Serviço. A Virada do Rock acontece no Mercado das Borboletas (avenida Olegário Maciel, 742, 3º piso), entre 12h de amanhã e 8h de domingo. As entradas variam entre R$ 5 e R$ 30, de acordo com os horários de apresentação dos shows adquiridos. A programação completa pode ser consultada no www.sympla.com.br/conexão

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave