Após quatro dias de confrontos, Israel descarta um cessar-fogo

Conselho de Segurança da ONU faz reunião de emergência para tentar conter conflito

iG Minas Gerais |

Destruição. Palestino inspeciona prédio da Faixa de Gaza após queda de foguete israelense no local
Hatem Moussa
Destruição. Palestino inspeciona prédio da Faixa de Gaza após queda de foguete israelense no local

Tel Aviv, Israel. Em quatro dias de confrontos entre o governo israelense e o grupo terrorista Hamas, baseado na Faixa de Gaza, Israel lançou 860 ataques à Gaza em uma operação batizada de “Margem Protetora”. Os palestinos revidaram com 350 foguetes e morteiros disparados a partir do território do Hamas, segundo o jornal “Haaretz”.  

Graças à batalha aérea, ao menos 84 palestinos morreram. Entre eles, haviam 22 crianças, 15 mulheres e 12 idosos. Outras 537 pessoas ficaram feridas, a maioria civis, de acordo o Ministério da Saúde de Gaza. Com o avançado sistema de defesa antimísseis “Domo de Ferro”, Israel saiu da troca razoavelmente incólume, mas alguns foguetes acertaram seu destino, e há feridos.

Apesar da gravidade da situação, a escalada do conflito pode se acentuar ainda mais com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, dizendo aos membros da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa do Parlamento que um cessar-fogo não está na pauta.

Até o momento, as forças israelenses realizaram apenas ataques aéreos em Gaza, e o país mantém o discurso de que continuará o ataque enquanto os palestinos não pararem de mandar foguetes. Assim, a continuação do lançamento de mísseis por militantes palestinos pode reforçar o coro de ultranacionalistas que defendem uma ofensiva terrestre. Na segunda-feira, 40 mil reservistas foram convocados, e iniciou-se a construção de uma força na fronteira.

Israel pediu a palestinos que moram em áreas próximas à fronteira para deixarem suas casas. Alguns deles atravessaram a fronteira com o Egito, segundo informações da imprensa em Gaza.

CONSELHO DE SEGURANÇA. Durante uma reunião do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), o secretário geral Ban Ki-moon pediu um cessar-fogo. Ban disse que a violência atual mostra que a relação entre Israel e palestinos é insustentável. O presidente russo, Vladimir Putin, pediu o fim imediato dos confrontos e expressou preocupação com a morte de civis. Já o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, alertou os líderes locais de que a região vive um momento perigoso.

Jogo da Copa

Bomba. Ataque aéreo israelense atingiu um bar à beira da praia em Gaza, em que pessoas assistiam à partida entre Argentina e Holanda pela Copa do Mundo. Oito pessoas morreram.

Entenda o que motivou a troca de mísseis entre os grupos  Jovens israelenses Em 12 de junho, três adolescentes israelenses foram sequestrados na Cisjordânia. Os corpos de Naftali Frankel, Gil-ad Sha’er e Eyal Yifrach foram encontrados na semana passada, aumentando a hostilidade entre israelenses e palestinos. Jovem palestino O adolescente palestino Muhammed Abu Khdeir foi assassinado dois dias após a descoberta dos corpos, o que intensificou a violência entre os grupos. O garoto teria sido queimado vivo em retaliação pelas mortes dos jovens israelenses. Começam os ataques Israel dá início à operação “Margem Protetora”, atirando mísseis em Gaza. Hamas atira projéteis em Israel – que não atingem solo graças ao sistema de defesa do país. Ao menos 84 palestinos morreram em quatro dias. Não há previsão de cessar-fogo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave