A voz Celeste

iG Minas Gerais |

Os jogadores do maior de Minas se reapresentaram ontem, na Toca da Raposa, e deram continuação à intertemporada. Marcelo Oliveira sabe que o Cruzeiro é o time a ser batido no Campeonato Brasileiro. É o atual campeão e lidera a competição. Todos sabemos que o elenco celeste é um dos melhores do Brasil e que o Marcelo Oliveira tem o grupo na mão, além de treinar muito. Diferentemente da nossa seleção, que, depois de ser espancada pela Alemanha, nem voltou aos treinos, enquanto a Holanda, nosso adversário na disputa pelo terceiro lugar, voltou a treinar ontem, menos de 24 horas após ter perdido para a Argentina. A respeito do sucessor de Felipão, sou a favor de que se contrate um treinador estrangeiro. Alguns dizem que o futebol brasileiro vai custar a se adaptar com um estrangeiro, mas não tem nada disso! A linguagem do futebol é universal.  Avacoelhada

Elsinho, novamente lesionado, e Ricardinho, suspenso, não vão jogar contra o Paraná. Oportunidade para Pablo ser o lateral-direito e repetir a boa atuação que teve contra o Bragantino, quando jogou nesta posição. Willians, independentemente da suspensão do Ricardinho, por meritocracia já deveria ser o titular na função de atacante. Tchô poderia entrar no meio de campo a fim de dividir a responsabilidade da criação com Mancini. No amistoso contra o Villa Nova, Moacir Júnior optou pela escalação de Leandro Guerreiro, Andrei e Doriva. Para jogar com três volantes, pelo menos dois deles precisam ter qualidade de armador para potencializar a saída de bola por meio de passes precisos e velocidade para executar a transição e o reposicionamento. Luis Felipe, China e Júnior Lemos jogavam nessa formação no Sub-20, treinado pelo Milagres.

 

A voz da Massa Saudações. Muito embora o triunfo da Argentina seja motivo de certo orgulho para o atleticano, por termos cedido a eles o melhor CT do Brasil, eu vou torcer pela a Alemanha na final da Copa. Primeiro porque não quero ver o arquirrival do Brasil ser campeão em pleno Maracanã. Também porque fiquei fã desses alemães que, mesmo massacrando a seleção brasileira em campo, mostraram todo respeito durante o jogo. Com 7 a 0 no placar eles não fizeram qualquer tipo de tripúdio sobre nós, pelo contrário, tiraram o pé do acelerador para não aumentar a nossa humilhação. Além do que, os caras merecem vencer porque são fortes e muito bem preparados tática e emocionalmente. Agora uma pergunta: será que se fosse o contrário os nossos jogadores mostrariam o mesmo respeito pelo rival, ou ficariam dando uma pedalada aqui, um drible desnecessário ali, só para humilhar o outro?

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave