Sem Brasil na final, redes fazem de tudo para desovar TVs

Redes anunciam parcelamento em até 15 vezes para determinados modelos

iG Minas Gerais |

A Copa ainda nem acabou, mas bastou a derrota do Brasil na semifinal para o comércio varejista aparecer com promoções para impulsionar as vendas de TVs, tanto nas lojas como no comércio eletrônico. A intenção é se livrar dos estoques extras que as varejistas tinham providenciado para premiar clientes, caso o Brasil fosse campeão.  

A Casas Bahia, por exemplo, prometia vender uma segunda TV de 50 polegadas por apenas R$ 1 para o cliente que tivesse comprado um televisor Samsung de 60 polegadas, se o país ganhasse o mundial. Procurada, a empresa não revela o volume de vendas de TVs, nem qual seria a sobra de estoques por causa da desclassificação do Brasil da final. De toda forma, esse produto já deve estar no depósito da companhia.

No Carrefour, as campanhas para vender televisores se tornaram mais agressivas. Para alguns modelos, o parcelamento sem acréscimo chegava a 15 vezes. O Magazine Luiza informa que não há liquidação por causa da saída antecipada do Brasil da disputa pela taça. As promoções que estão sendo feitas atualmente não têm, segundo a empresa, relação com o evento. Apesar de as redes varejistas não revelarem o nível de estoques de TVs, alguns indicadores da indústria e do comércio mostram que houve descompasso entre produção e venda.

Leia tudo sobre: desovaTV´sfim da Copa