‘Descolados’ do colégio podem virar adultos problemáticos

Pesquisador acompanhou os jovens populares até início da vida adulta

iG Minas Gerais | Jan Hoffman |

Diferente. Jennifer Garner interpreta Jenna, jovem cuja popularidade no colégio fez mal à vida adulta
Columbia Pictures do Brasil/Divulgação
Diferente. Jennifer Garner interpreta Jenna, jovem cuja popularidade no colégio fez mal à vida adulta

Nova York, EUA. Aos 13 anos, eles eram vistos pelos colegas de aula com inveja, admiração e um pouco de reverência. As meninas se maquiavam, tinham namorados e iam a festas organizadas por estudantes mais velhos. Os meninos se gabavam de beber cerveja às escondidas nas noites de sábado e afanarem camisinhas da loja de conveniência local.  

Eles eram maneiros. Eram bonitos. Completamente diferentes de você. O que aconteceu com eles?

“A garotada que foi pela via expressa não terminou bem”, afirmou Joseph P. Allen, professor de psicologia da Universidade de Virgínia, nos Estados Unidos. Ele é o autor principal de um estudo, publicado neste mês no periódico “Child Development”, que, durante uma década, acompanhou essa molecada maneira, socialmente precoce e corredora de riscos. De acordo com a pesquisa, ao longo do ensino médio seu status social costuma despencar e eles começam a patinar de muitas formas.

Foi sua corrida prematura ao que Allen chama de “comportamento pseudomaduro” que abriu o caminho para os problemas. Agora com 20 e poucos anos, muitos deles tiveram dificuldades com relacionamentos íntimos, álcool, maconha e até mesmo atividade criminal.

“Eles estão fazendo coisas mais radicais para tentar parecerem bacanas, gabando-se de beber uma dúzia e meia de latas de cervejas num sábado à noite, e seus colegas pensam: ‘Essa garotada não tem competência social’. Eles ainda estão vivendo no mundo do ginásio”.

Como alunos apressadinhos do fim do ensino fundamental, eles eram motivados por um desejo realçado de impressionar os amigos. Na verdade, o comportamento descarado lhes rendeu uma popularidade alta. Porém, no ensino médio, os colegas começaram a amadurecer, preparando-se para experimentar com o romance e até atos leves de delinquência. A popularidade dos garotos maneiros desapareceu.

B. Bradford Brown, professor de psicologia educacional da Universidade de Wisconsin-Madison que escreve sobre relações entre adolescentes e não participou do estudo, disse que a pesquisa oferece dados valiosos. O achado que mais o surpreendeu foi que o comportamento pseudomaduro é um indicador mais forte de problemas com álcool e drogas do que os níveis de uso de drogas no começo da adolescência.

Esse estudo acompanhou um grupo diversificado de 184 participantes de Charlottesville, no Estado da Virgínia, começando aos 13 anos e terminando aos 23.

Os pesquisadores batalharam para documentar a ascensão e a queda do status social, entrevistando os participantes e as pessoas que esses consideram conhecê-los melhor, geralmente amigos do peito. Aproximadamente 20% do grupo caiu na categoria de “garoto descolado” no princípio da pesquisa.

De acordo com Allen, três comportamentos visando à popularidade caracterizam a pseudomaturidade: a busca de amigos fisicamente atraentes; romances mais numerosos e intensos em termos emocionais e sexuais do que os colegas; e pequenos atos de delinquência – matar aula, entrar às escondidas no cinema e vandalismo.

Ao completarem 23 anos, na comparação com os colegas do ginásio que tiveram menos pressa, eles tinham um índice 45% maior de problemas resultantes do uso de álcool e da maconha e 40% maior de uso dessas substâncias. Eles ainda apresentavam um nível 22% maior de comportamento criminoso adulto, de roubo a assaltos.

Relações

Fracasso. Muitos dos jovens analisados atribuíram os relacionamentos românticos adultos fracassados ao status social, acreditando que a falta de classe fosse o motivo para os parceiros terminarem com eles.

Comum na ficção  “17 Outra Vez”: O filme mostra Mike O’Donnell (Zac Efron e Matthew Perry) no colegial como um futuro talento do basquete. Com a namorada grávida, ele abandona o sonho. Ele se torna um adulto frustrado, e sua mulher pede o divórcio. “De Repente 30”: Jenna Rink (Christa B. Allen e Jennifer Garner) quer ser popular e, na sua festa de 13 anos, convida adolescentes descolados. Ela faz um pedido para ter 30 anos e ter “a vida dos sonhos”, mas se torna uma adulta desagradável.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave