Acusado de chefiar venda ilegal de ingressos está foragido

Policiais da 18ª Delegacia de Polícia foram na tarde de desta quinta-feira (10) ao hotel Copacabana Palace, mas não encontraram o inglês Raymond Whelan

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

A Justiça do Rio de Janeiro acatou o pedido de denúncia do Ministério Público (MP) Estadual e decretou a prisão de 11 acusados no esquema de venda ilegal de ingressos para a Copa do Mundo 2014, entre eles, o inglês Raymond Whelan, diretor executivo da Match, empresa ligada à Federação Internacional de Futebol (Fifa). A polícia faz operações para prender Whelan, que está foragido, conforme informou o MP. Policiais da 18ª Delegacia de Polícia foram na tarde de desta quinta-feira (10) ao hotel Copacabana Palace, mas não encontraram Whelan.

O Ministério Público ofereceu denúncia contra 12 pessoas. O único que não teve a prisão preventiva decretada foi o advogado José Massih, que colaborou com as investigações.

De acordo com o MP, os acusados vão responder por organização criminosa, cambismo, corrupção ativa, lavagem de dinheiro e sonegação fiscal. Também foram denunciados, segundo o MP, Mohamadou Lamine Fofona, Alexandre Marino Vieira, Antonio Henrique de Paula Jorge, Antonio Henrique de Paula Jorge, Marcelo Pavão da Costa Carvalho, Sergio Antonio de Lima, Julio Soares da Costa Filho, Fernanda Carrione Paulucci, Ernani Alves da Rocha Junior, Alexandre da Silva Borges e Ozeas do Nascimento.

O advogado Massih vai responder o processo em liberdade, porque não teve a prisão preventiva decretada. Os demais estão presos no Complexo de Gericinó, pois estavam com a prisão temporária decretada pela Justiça.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave