Jornalistas estrangeiros elogiam CT do Galo e hospitalidade mineira

Cidade do Galo recebeu a seleção argentina, finalista ao lado da Alemanha, durante a Copa do Mundo, e foi bem avaliada pelos profissionais da imprensa

iG Minas Gerais | ANTÔNIO ANDERSON |

Cidade do Galo entrou na rota das seleções que disputarão a Copa do Mundo de 2014
BRUNO CANTINI/ATLÉTICO
Cidade do Galo entrou na rota das seleções que disputarão a Copa do Mundo de 2014

Nos últimos 30 dias, a Cidade do Galo, em Vespasiano, na região metropolitana de Belo Horizonte, recebeu um batalhão de jornalistas de vários países do mundo, que vieram a Minas Gerais acompanhar os treinos da seleção argentina. Os vários idiomas tomaram conta do centro de treinamento, que, a partir deste sábado, se despede da Albiceleste. "Estou muito grato com a chance de cobrir uma Copa do Mundo. Ainda mais em se tratando da Argentina, que sempre tem boas notícias para serem divulgadas", afirmou o jornalista mexicano César Martinez Díaz Regino, da TV Televisa. No Brasil há 37 dias, o jornalista mexicano não poupou elogios à estrutura da Cidade do Galo. "Fomos muito bem recebidos por todos e tivemos totais condições de fazer bem o nosso papel de informar os nossos telespectadores. O Atlético está de parabéns", afirmou César, que só faz uma ressalva: a saudade da família. "Tenho um filhinho de apenas um ano e meio e estou longe de casa há 37 dias. A saudade é muito grande e a gente tenta matar por telefone ou internet. Mas tenho que pensar que se trata de uma oportunidade única de cobrir uma Copa e eu quero aproveitar ao máximo", destacou o mexicano.

Outro jornalista que também elogiou a estrutura do CT do Atlético foi o argentino Alejandro José Magdaleno, do Diário de La Republica. "Estou no Brasil há 31 dias e fiquei muito impressionado com a estrutura que o CT do Atlético ofereceu para a Argentina se preparar. No meu país, nenhum clube tem estrutura como essa", destacou. Alejandro definiu como fantástica essa oportunidade de acompanhar a seleção de seu país na Copa do Mundo. "É uma oportunidade única na vida de um profissional do jornalismo. Espero que no domingo a Argentina coroe esse período de jogos com o tricampeonato", completou o jornalista.

Alejandro elogiou ainda o povo mineiro, afirmando que foi muito bem tratado. "Vocês são maravilhosos e muito cordiais. Me ajudaram muito quando precisei, e esta cobertura só foi possível graças à ajuda de vocês", destacou o argentino, que também tem como única reclamação deste seu período no Brasil a saudade da família. "Isso é muito ruim. Tenho três filhos, e a saudade deles e de minha esposa é muito grande". 

Leia tudo sobre: copa do mundojornalistasargentinosbelo horizonte