Marin aparece em treino, fala com Felipão e tira foto com torcedores

Presidente da CBF estava sendo criticado por não ter aparecido desde que o Brasil foi massacrado pela Alemanha por 7 a 1 na semifinal

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

No mesmo dia que Neymar voltou, Marin conversou com Felipão, torcedores e atletas
Jefferson Bernardes/VIPCOMM
No mesmo dia que Neymar voltou, Marin conversou com Felipão, torcedores e atletas

O presidente da CBF, José Maria Marin, está nesta quinta-feira (10) em Teresópolis acompanhando o treino da seleção brasileira. O time se prepara para disputar o terceiro lugar da Copa do Mundo no próximo sábado, contra a Holanda, em Brasília.

Ele foi até o campo e conversou por alguns minutos com o técnico Luiz Felipe Scolari. Após o próximo jogo, Marin e Marco Polo Del Nero, que assumirá a presidência da CBF no início do ano que vem, terão que decidir o futuro da comissão técnica, já que o acordo com Felipão e o coordenador técnico Carlos Alberto Parreira era até o final do Mundial.

A tendência é que não haja prorrogação do acordo. Tite, que está parado desde que deixou o Corinthians, em novembro de 2013, é cotado para assumir.

Marin estava sendo criticado por não ter aparecido desde que o Brasil foi massacrado pela Alemanha por 7 a 1 na semifinal da Copa, terça (8). Nem mesmo no site da CBF, onde aparecia festivo a cada vitória, Marin esteve nos dois dias seguintes à goleada.

Nesta quinta o presidente resolveu aparecer. Quando chegou à Granja Comary, onde está o centro de treinamento da CBF, ele até desceu do carro para conversar com alguns torcedores que estavam na porta do CT. Um deles levava um cartaz que dizia: "A derrota faz parte do caminho dos vencedores".

"Ele desceu depois de ver o cartaz e veio agradecer o apoio. Disse que estava feliz por receber esse voto de confiança da população", disse Dario Félix, 40, comerciante, que viajou do Rio até Teresópolis para tentar ver algum jogador.

"Ele não falou se o Felipão fica. Só pedi para ele nos deixar ver o treino, mas ele também não respondeu", disse Félix.