Revanche contra a ‘algoz recente’ Alemanha move a Argentina

Germânicos eliminaram a seleção albiceleste nas quartas de final das Copas de 2006 e 2010

iG Minas Gerais | FERNANDO ALMEIDA |

Lucas Biglia ganhou espaço no meio campo da Argentina durante a Copa do Mundo no Brasil
ALEX DE JESUS/O TEMPO
Lucas Biglia ganhou espaço no meio campo da Argentina durante a Copa do Mundo no Brasil

São Paulo (SP). A história do futebol é formada por grandes duelos, rivalidades que movem o esporte e o torna esta paixão difícil de explicar. Depois de 24 anos, a Argentina volta a uma final de Copa do Mundo e encontra mais uma vez em seu caminho a algoz Alemanha.

A conquista do Mundial frente os germânicos em 1986 teve o seu troco na Copa seguinte e o jejum de finais da Argentina se manteve desde então. Contudo, não são estes dois confrontos que marcam a atual geração hermana. Está mais viva na memória da seleção que disputa a Copa no Brasil as duas eliminações nos Mundiais de 2006 e 2010, ambos para os alemães.

Apesar do técnico Alejandro Sabella ter dito que a palavra revanche não está em seu vocabulário, os jogadores alimentam essa sede por vingança e usam este sentimento como combustível para motivá-los na partida que decide a Copa no Brasil, no próximo domingo.

“É uma revanche sim. Temos de vencê-los. A partida contra a Alemanha é claro que não será fácil. Temos de ficar atentos em todos os detalhes para não deixarmos escapar o título”, disse Lucas Biglia, que nem sequer participou dos dois revezes recentes para a Alemanha, mas, como argentino, sentiu a frustração de ver sua seleção sair de uma Copa após derrota para os alemães.

Biglia acredita que um dos trunfos da Argentina nesta Copa do Mundo é a força defensiva, fato que será muito importante para anular o envolvente ataque alemão, responsável por massacrar o Brasil na semifinal.

“Estou feliz, pois mostramos uma boa postura tática contra uma equipe muito forte e que tem um dos melhores ataques da competição”, afirmou Biglia, avaliando a atuação argentina contra a Holanda, na última quarta-feira.

“Estava muito difícil passar pela defesa deles e nos portamos bem também defensivamente. Fomos bem na parte tática”, completou.

A final da Copa do Mundo entre Alemanha e Argentina está marcada para iniciar às 16h do próximo domingo (13), no Maracanã.

Leia tudo sobre: argentinabigliaCopa do Mundoalemanhaholandaalgoz20102006