Será que eles poderiam substituir mesmo Neymar?

Nomes como o de Ronaldinho Gaúcho, 34, Kaká, 32, Robinho, 30, e Adriano, 32, ainda podiam cumprir mais um ciclo em Copas do Mundo

iG Minas Gerais | Guilherme Guimarães |

Felipão fechou seu grupo muito cedo e sequer deu chances para o craque do Brasileirão 2013,Everton Ribeiro
FELIPE OLIVEIRA/ESTADÃO CONTEÚDO - 4.9..2013
Felipão fechou seu grupo muito cedo e sequer deu chances para o craque do Brasileirão 2013,Everton Ribeiro

A goleada alemã por 7 a 1 no Mineirão, resultado mais desastroso do Brasil na história do futebol, evidenciou inúmeras falhas técnicas e táticas do escrete canarinho na Copa do Mundo. Duas delas têm relevante importância: ausência de um grande líder e a falta de substitutos à altura para o craque Neymar.  

Mas quem Felipão poderia ter convocado para dar mais “cancha” e experiência ao grupo, tirando das costas de um jovem de 22 anos o peso de um Mundial em casa? Porque atletas tarimbados, que ainda tinham “lenha para queimar”, se tornaram carta fora do baralho?

“Alguns jogadores conquistaram tanto pelo futebol, que entram em uma zona de conforto para diminuir as pressões em torno de suas vidas. O desejo pelo esporte de alto rendimento passa a ser secundário, e, consequentemente, a vontade de jogar pela seleção também”, avalia o psicólogo Douglas Amorim.

Nomes como o de Ronaldinho Gaúcho, 34, Kaká, 32, Robinho, 30, e Adriano, 32, ainda podiam cumprir mais um ciclo em Copas do Mundo. “O Ronaldinho Gaúcho é pentacampeão, foi eleito duas vezes o melhor jogador do planeta. Almejar mais o que na vida? Ele já é reconhecido como craque, busca outros desafios. Agora, quer gravar música, seguir na área artística”, justifica Amorim, que cita o desejo como objeto importante da motivação para os atletas.

“O atacante alemão Miroslav Klose tem 36 anos e, mesmo assim, lutou para bater o recorde do Ronaldo como o maior artilheiro em Copas. O desejo varia de acordo com a idade e com o que o atleta pensa para sua realização pessoal. O Klose atingiu seu objetivo, alcançou o seu desejo”, comentou o psicólogo.

Alexandre Pato, que explodiu precocemente, apenas decepcionou ao estacionar no tempo e não se apresentar como boa opção. Nem mesmo Everton Ribeiro, o melhor jogador do Brasileirão 2013, teve peito para se garantir na Copa do Mundo, que fica mais uma vez no sonho brasileiro.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave