Contrato com Cowan para aumentar pista deve ser mantido

Construtora é a mesma do viaduto que caiu em Belo Horizonte, na semana passada

iG Minas Gerais |

Já era para a pista de Confins estar ampliada de 3.000 para 3.600 metros desde maio. Mas a expansão foi adiada para depois da Copa do Mundo, para não afetar o quadro de voos, que precisará ser remanejado quando a obra começar. A responsável pela ampliação é a Cowan, a mesma construtora do viaduto Guerra dos Guararapes, que caiu há uma semana na avenida Pedro I, na Pampulha. Segundo a Infraero, o acidente não deve alterar o contrato, que agora, ficará sob a gestão do novo administrador do aeroporto de Confins.

Caberá ao gestor BH Airport traçar um plano junto com a Agência Nacional da Aviação Civil (Anac), Infraero e companhias aéreas, para remanejar os voos durante a ampliação da pista.

Além da pista, a Cowan também é responsável pela expansão do pátio das aeronaves de 113.345 m² para 369.384 m². As duas obras estão orçadas em R$ 199 milhões. Segundo o Portal da Transparência, já foram executados 47%. A reportagem entrou em contato com a Cowan para saber do cronograma da obra na pista, mas a empresa não retornou até o fechamento desta edição.(QA)

 

Puxadinho

Em andamento. As obras do Terminal 3 não pararam durante a Copa, mas estão atrasadas devido a problemas na estrutura metálica que, segundo a Infraero, já foram sanados.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave