Apegado aos números, Felipão vê seleção brasileira no ‘caminho certo’

Treinador tentou explicar, de forma empírica, o inexplicável; escalação surpresa de Bernard também foi comentada

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

ESPORTES - BELO HORIZONTE MG - BRASIL - 8.7.2014 - COPA DO MUNDO FIFA 2014 - BRASIL X ALEMANHA no Estadio Mineirao em Belo Horizonte MG. 
Foto: Douglas Magno / O Tempo
douglas magno
ESPORTES - BELO HORIZONTE MG - BRASIL - 8.7.2014 - COPA DO MUNDO FIFA 2014 - BRASIL X ALEMANHA no Estadio Mineirao em Belo Horizonte MG. Foto: Douglas Magno / O Tempo

A quarta-feira foi de explicações na Granja Comary. Um da após ser massacrado pela Alemanha, no Mineirão, o técnico Luiz Felipe Scolari reuniu toda a sua comissão técnica e colocou no papel as estatísticas da seleção brasileira na Copa do Mundo. Em sua visão irredutível, o treinador deixou expresso em suas palavras - e também nos dados levantados por seus fiéis companheiros - que o futebol brasileiro está no caminho certo.

“Eu tenho dados que podem diminuir as dúvidas que vocês (jornalistas) possuem. Entendo perfeitamente o que se passou ontem, eu sei o que é a mancha. O que é a vergonha. Mas eu vou seguir a minha vida, os jogadores também vão seguir a deles. Eles vão continuar vencedores", afirmou. 

“Há um ano e meio nós estamos jogando juntos. Com todas estas dificuldades, nós estamos assim, semifinalistas. Se formos avaliar por números, nós estamos no caminho certo. No jogo de ontem, a Alemanha deu 14 chutes e fez sete gols. Nós demos 18 e fizemos um. Foi uma partida feia, a catástrofe aconteceu, mas acabou. O nosso objetivo é ser terceiro lugar no sábado, precisamos seguir este caminho”, completou Felipão.

Ainda segundo o treinador brasileiro, uma derrota da seleção para a Alemanha, por um placar menor, não seria analisada de maneira tão crítica.  “Se tivéssemos perdido por um gol, poderíamos estar falando aqui que foi um jogo bom. Mas, com aquele resultado, ficou difícil de dizer alguma coisa”, disse. 

A escalação de Bernard, um tanto que no apagar das luzes, contra a Alemanha também foi contestada pelo treinador. "Eu fiz 28 jogos pela seleção brasileira. Em grande parte destas partidas, o Bernard entrou em campo e foi testado nesta posição. Todos estavam cientes de suas funções", concluiu.