Homem que degolou filha de 2 anos é preso por estuprar mulher em Minas

Após estupro, bandido ainda tentou matar outra filha de 16 anos e genro; em 2006, ele matou criança e esfaqueou mulher 12 vezes

iG Minas Gerais | CAROLINA CAETANO |

Homem era funcionário público quando matou filha de 2 anos
POLÍCIA MILITAR / DIVULGAÇÃO
Homem era funcionário público quando matou filha de 2 anos

A Polícia Militar de Ouro Preto, na região Central do Estado, prendeu na madrugada desta quarta-feira (9) um homem suspeito de estuprar uma mulher de 50 anos. Ele ficou conhecido no meio policial após degolar a própria filha de 2 anos em 2006.

De acordo com o tenente Renato Vieira de Souza, do 52º Batalhão de Polícia Militar, Edmar Cláudio Vilaça foi denunciado pela vítima do abuso sexual. A dona de casa contou à corporação que conhecia o agressor de vista e aceitou uma carona dele.

“No meio do caminho, segundo ela, o Edimar desviou o caminho e seguiu para a casa dele. Lá, o suspeito obrigou a vítima entrar no imóvel e, através de ameaças de morte, manteve relação sexual com a mulher”, contou o militar.

Segundo a vítima, ele ainda quebrou seu celular para que a polícia não fosse acionada. Aproveitando que Vilaça foi ao banheiro, a mulher conseguiu fazer contato com a irmã pelo telefone fixo da casa.

Em seguida, ela pediu que o criminoso a liberasse e disse que não contaria o fato para ninguém, nem acionaria a polícia. Acreditando nela, o homem a liberou. Porém, a dona de casa pediu ajuda em uma república de estudantes e ligou para a corporação.

“Quando chegamos ao bairro Barra, ele já havia fugido de carro. A ex-mulher ligou para a polícia e disse que ele estava em sua casa, e ainda tentou matar a outra filha de 16 anos e o genro jogando o veículo contra eles que, por sorte, não ficaram feridos”, explicou o tenente.

Vilaça foi localizado na rua Alfredo Baeta, no bairro Antônio Dias, e não resistiu à prisão. Para os militares ele disse que “não fez nada de errado”. O homem, que pode ter cometido outro estupro em maio deste ano, foi encaminhado à Delegacia de Plantão de Ouro Preto.

Segundo a Secretaria de Estado da Família e Desenvolvimento Social (Seds), após o crime contra a filha em 2006, Vilaça ficou preso no Presídio de Formiga, na região Centro-Oeste do Estado, até dezembro de 2011. Durante sua passagem pela prisão, ele fugiu, mas foi recaptura seis dias depois.

Crime contra criança ganhou destaque nacional

O crime covarde contra a filha de apenas 2 anos teve repercussão nacional. No dia 5 de fevereiro de 2006, Vilaça, na época funcionário público, cortou o pescoço da pequena Isadora Vilaça após brigar com a companheira de 22, que foi esfaqueada 12 vezes no peito e no rosto, mas sobreviveu.

Na época do crime, a delegada da comarca de Ouro Preto,Cleanice Reis, disse que o homem soltou um cachorro rottweiler, trancou todas as portas e janelas e passou a ameaçar a criança de morte.

Uma equipe do Grupamento de Ações Táticas Especiais (Gate) de Belo Horizonte tentou negociar com o criminoso por quase quatro horas, mas, quando os policiais entraram no imóvel, a menina já estava sem vida.

Após a prisão do bandido, moradores de Ouro Preto se revoltaram, compareceram à delegacia e tentaram linchar Vilaça.

Leia tudo sobre: FILHAESTUPRODEGOLAPAI