Plano acertado para o trânsito

Reportagem constatou erro em sinalização de desvio; BHTrans alegou que havia agentes

iG Minas Gerais | Johnatan Castro |

Desabamento. Caminhão que estava preso debaixo de viaduto que caiu, na avenida Pedro I, foi retirado
Denilton Dias/O Tempo 08.07.14
Desabamento. Caminhão que estava preso debaixo de viaduto que caiu, na avenida Pedro I, foi retirado

Graças ao feriado decretado pela Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) e apesar da movimentação de torcedores rumo ao Mineirão, na região da Pampulha – onde o Brasil jogou pela Copa –, o dia dessa terça foi de trânsito tranquilo no entorno da avenida Pedro I, interditada no trecho onde o viaduto Batalha dos Guararapes desabou, na última quinta-feira. À tarde, a reportagem percorreu todos os desvios criados pela Empresa de Transportes e Trânsito da capital (BHTrans) e constatou fluxo reduzido, poucas ruas sinalizadas e orientação equivocada em um dos desvios. O motorista do veículo de O TEMPO se perdeu no acesso da avenida Cristiano Machado para a rua das Gaivotas, no sentido Pampulha, já que o caminho indicado estava nomeado como “Trevo”. Muitos passageiros reclamaram da demora dos ônibus. Apenas para nessa terça, a BHTrans estabeleceu um desvio para carros credenciados e táxis e outros para veículos particulares, ambos ligando a região da barragem da Pampulha à MG–010. Para controlar o acesso, um Posto de Verificação Veicular (PVV) foi instalado na rodovia. “Somente carros credenciados e táxis podem seguir pela Pedro I”, disse o soldado Weslley Carvalho, da Polícia Militar Rodoviária. Mesmo com a pequena retenção em função do controle, o trânsito ao longo da avenida Cristiano Machado permaneceu tranquilo. A reportagem identificou um trecho bem-sinalizado somente no desvio para carros credenciados e táxis, com faixas e muitos agentes da BHTrans nas ruas Eugênio Volpini, Doutor Álvaro Camargos e São Pedro do Avaí. Ao longo das avenidas Portugal e Doutor Cristiano Guimarães, no sentido Venda Nova, havia apenas uma placa móvel indicando o desvio. No caminho para o Mineirão, houve congestionamentos na avenida Presidente Carlos Luz, na altura do bairro Ouro Preto, perto da igreja São Francisco de Assis, na Pampulha, e na avenida Antônio Carlos, perto da entrada da Universidade Federal de Minas Gerais. Ônibus. Apesar de a PBH ter anunciado que os ônibus circulariam com o horário de sábado, passageiros reclamaram que os coletivos estavam demorando mais nessa terça que aos domingos. “Hoje de manhã, esperei o ônibus por mais de uma hora. E ele costuma passar de 15 em 15 minutos”, afirmou o conferente João Batista, 64. À tarde, a auxiliar de operações Cleide Aparecida da Silva, 47, estava há 45 minutos esperando o ônibus na avenida Pedro I. “Está pior que aos domingos. E os motoristas ainda não estão parando nos pontos certos”, reclamou. Procurada para falar dos horários dos ônibus metropolitanos, a Secretaria de Estado de Transportes e Obras Públicas não se posicionou até o fechamento desta edição.

Resposta BHTrans. Por meio da assessoria de imprensa, a empresa de trânsito afirmou que somente o trecho da rua das Gaivotas não estava sinalizado e alegou que uma equipe de agentes da autarquia ficou no local todo o tempo nesta terça. Outros agentes, segundo a BHTrans, fizeram ronda por todo o desvio para identificar problemas. Desvios. A autarquia informou que o desvio criado nesta terça será desativado a partir desta quarta, quando passa a valer o caminho definido na última semana, utilizando ruas no entorno do local do acidente.

Homenagem Moradores do condomínio Antares organizam culto ecumênico em homenagem às vítimas do desabamento do viaduto Batalha dos Guararapes. A cerimônia, que deve contar com a presença de um padre e de um pastor, está marcada para esta quinta, às 20h, na avenida Pedro I, próximo ao local do acidente. Nesta quarta alguns moradores pretendem levar um documento à Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa para solicitar acompanhamento da situação.

Sétimo dia A missa de sétimo dia de Hanna Cristina Santos, 25, motorista do micro-ônibus que morreu na queda do viaduto Batalha dos Guararapes, será celebrada nesta quarta, às 19h, na igreja Nossa Senhora da Misericórdia, no bairro Itapuã, na região da Pampulha. Após a celebração, os familiares e amigos farão uma passeata até o viaduto. A informação é do irmão da vítima, Tiago Carlos dos Santos, 28, também motorista de ônibus. “A passeata é em homenagem à minha irmã”.

Custos Tiago Carlos dos Santos, 28 – irmão de Hanna, uma das vítimas do desabamento do viaduto –, informou que uma assistente social da construtora Cowan conversou com a família e repassou um número de telefone aos parentes. Entretanto, segundo ele, a empresa não custeou as despesas do sepultamento da jovem. Já a família da outra vítima, o servente Charlys do Nascimento, não quis informar sobre a missa de sétimo dia do jovem nem se a empresa prestou algum auxílio.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave