Ex-dirigentes são condenados à prisão

Decisão é do TRF da 1ª Região e atende a recurso do Ministério Público Federal

iG Minas Gerais |

O ex-presidente do Banco Econômico Ângelo Calmon de Sá e o ex-vice-presidente José Roberto Davi de Azevedo foram condenados ontem por evasão de divisas e fraude contra o sistema financeiro. A decisão foi tomada por unanimidade pela 3ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1).

Calmon de Sá deverá cumprir pena de sete anos de prisão, inicialmente em regime semiaberto, além de pagar multa. José Roberto Davi de Azevedo foi condenado a oito anos e dois meses de reclusão em regime fechado e também deverá pagar multa.

O processo começou em julho de 2002 na Justiça Federal da Bahia. Calmon de Sá e Azevedo foram absolvidos em primeira instância, o que levou o Ministério Público Federal (MPF) a recorrer da decisão.

Agora, o TRF-1 acatou o recurso. A conclusão foi que ambos praticaram dolosamente manobras fraudulentas na gestão do Banco Econômico, representando crimes contra o sistema financeiro, o que levou o banco à falência.

Segundo a denúncia do MPF, uma empresa estrangeira controlada pelo banco teria atuado irregularmente como instituição financeira no Brasil, contraindo empréstimos, firmando contratos de mútuos com empresas nacionais, comprando e vendendo títulos e moeda estrangeira e remetendo todos os lucros para o exterior.

Leia tudo sobre: Banco Econômicoex-dirigentesprisão