Salvador tem show cancelado, briga e clima de tristeza após derrota

Antes do fim do primeiro tempo, o clima de Quarta-feira de Cinzas tomou conta da capital baiana

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O trio elétrico estava lá, posicionado. Mas ao redor dele, ao invés de foliões curtindo a classificação do Brasil para a sua oitava final de uma Copa do Mundo, não havia ninguém. Com a derrota e eliminação brasileira da Copa, a prefeitura de Salvador decidiu cancelar o show do cantor de pagode Léo Santana, programado para depois do jogo no Farol da Barra.

Segundo a prefeitura de Salvador, o cancelamento o show foi uma recomendação da Polícia Militar, que temia um acirramento de conflitos entre torcedores.

Ainda no intervalo, houve pelo menos duas brigas na área em frente ao telão principal da Fan Fest. Quatro torcedores foram detidos, um deles com sangramentos na cabeça.

A programação do palco da Fan Fest foi mantida com um curto show da banda Oito7Nove9, dos filhos do cantor Bell Marques.

Volta para casa

Antes do fim do primeiro tempo, o clima de Quarta-feira de Cinzas tomou conta da capital baiana. O movimento nas principais avenidas da cidade já era grande. Os pontos de ônibus no entorno da Fan Fest estavam cheios de torcedores que voltavam para casa.

Revoltado com o resultado em campo, o militar José Santos Neto, 50, disse que o resultado foi merecido. E criticou os jogadores e comissão técnica por homenagearem Neymar, que estava lesionado e foi cortado da Copa do Mundo,

"Eles deveriam ter homenageado aquela moça que morreu esmagada por um viaduto em Belo Horizonte. Não vi ninguém na seleção falar nela", criticou, numa referência à motorista de ônibus Hanna dos Santos, 25, que morreu na queda de um viaduto na capital mineira semana passada.

Atônita, a maioria dos torcedores que permaneceram na festa tentavam entender o que acontecia dentro de campo. O mecânico industrial Marcos Oliveira, 32, apontou problemas no esquema tático da seleção que entrou em campo. Mas manteve-se impávido: "Só choro nessa vida por um time que se chama Bahia".

No segundo tempo, numa Fan Fest já esvaziada, torcedores aplaudiram e comemoraram os dois gols marcados pelos alemães. Ao estudante Marcius Neves, 36, pelo menos restou um consolo: "Pelo menos, ninguém ganhou no bolão".

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave