PT já colocou fim ao caso Luiz Moura, diz Alexandre Padilha

Ex-ministro da Saúde disse que sua campanha vai recorrer à Justiça e defendeu o afastamento do deputado

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Desde o início do caso, o partido tenta isolar Moura para evitar desgastes à candidatura de Padilha
ELZA FIÚZA/ABR - 5.3.2013
Desde o início do caso, o partido tenta isolar Moura para evitar desgastes à candidatura de Padilha

Ao afirmar que o PT já deu um fim ao caso do deputado estadual Luiz Moura, o candidato do partido ao governo paulista, Alexandre Padilha, disse nesta terça-feira (8) esperar que a Justiça seja "correta" com a legenda. Ele quer que seja revertida a decisão provisória da Justiça de São Paulo que anulou a convenção estadual na qual seu nome foi confirmado como candidato.

A reunião petista foi invalidada por uma decisão provisória do Tribunal de Justiça de São Paulo, atendendo a pedido de Moura. O deputado questionou a suspensão aplicada pelo PT. O ex-ministro da Saúde disse que sua campanha vai recorrer à Justiça e defendeu o afastamento de Moura.

"O PT está muito seguro do ponto de vista jurídico. A convenção foi democrática, com decisão democrática dos delegados. O PT tem muita segurança e vai apresentar esses argumentos à Justiça e confiamos muito de que ela vai ser correta com o PT", disse.

Desde o início do caso, o partido tenta isolar Moura para evitar desgastes à candidatura de Padilha e aos ataques à reeleição do governador Geraldo Alckmin (PSDB) na área de segurança pública.

Padilha cobrou que a Polícia Civil apresente os resultados da operação que identificou a participação de Moura em março deste ano em reunião na sede de uma cooperativa de transportes na qual estiveram presentes membros do PCC.

"O PT foi rápido e ágil nessa decisão. O PT mostrou que diferente de outros partidos é implacável com qualquer facção criminosa e pessoa que se aproxime de qualquer facção criminosa. Quem não está sendo rápida e a operação da Polícia Civil. Foi feita uma operação que disse que identificou pessoas ligadas a facções criminosas e até hoje ninguém viu ninguém ser preso da operação", afirmou o candidato.

"Nós precisamos saber quem foi preso. A facção continua atuando no Estado livre, leve e solta? Nós queremos que a operação que foi relatada quais são os resultados dessa operação", completou.

Questionado se a investida de Moura na Justiça contra a campanha representava o fim da relação do deputado com o partido, Padilha disse que o PT tomou as medidas cabíveis no caso. "O fim nisso o PT já deu quando tomou atitude rápida, ágil, de realizar a suspensão para mostrar que vai ser implacável com qualquer facção criminosa".

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave