Felipão assume culpa pelo vexame da seleção e pede desculpas à torcida

Treinador viveu nesta terça-feira, no Mineirão, a maior vergonha de sua carreira profissional e da história centenária do maior vencedor de Copas do Mundo

iG Minas Gerais | Felipe Ribeiro |

Ainda no gramado do Mineirão, logo após a goleada de 7 a 1 para a Alemanha, o técnico Luiz Felipe Scolari reuniu os jogadores da seleção brasileira no  centro do campo e começou a conversar com um por um, batendo no peito e chamando a responsabilidade pelo vexame que entra para a história do Brasil e do futebol mundial.

O comandante escreveu seu nome positivamente em 2002 com a conquista do pentacampeonato, mas viveu nesta terça-feira o capítulo mais triste de sua carreira, que ficará gravado e manchado nas páginas de livros do esporte. O resultado foi o maior sofrido pelo time canarinho em sua história que chegou ao centenário em 2014.

Ficou a expectativa para a entrevista coletiva de Felipão para saber as primeiras palavras do treinador à imprensa depois de um choque de realidade que mostrou sua equipe muito inferior tecnicamente, taticamente e fisicamente à Alemanha, candidatíssima ao quarto título mundial numa final contra Holanda ou Argentina, que jogam nesta quarta-feira.

Ao som de canções da Boss Nova tocadas pelo DJ ds Fifa na sala de entrevistas coletivas do Gigante da Pampulha, os jornalistas de diversos países do mundo aguardavam ansiosos a presença do treinador da seleção brasileira para falar do dia em que a tradição verde-amarela desafinou como nunca havia acontecido.

"Quem é o responsável pelas escolhas? Sou eu. O resultado catastrófico pode ser dividido pelo grupo porque eles querem falar isso. Mas a escolha do time, da parte tática, sou o responsável", destacou o técnico Luiz Felipe Scolari.

O treinador pediu desculpas à torcida brasileira e agradeceu o apoio recebido mesmo quando o placar já estava muito adverso. "Peço desculpas pelo resultado negativo, por não termos chegado à final e continuar honrando nossa equipe na disputa pelo terceiro lugar. Agradeço pelo apoio mesmo quando estávamos perdendo por 5 a 0", disse Felipão.

Por fim, o comandante enalteceu o adversário e disse que sua equipe fez o que pôde. "Tentamos fazer aquilo que tínhamos condições, demos nosso melhor e perdemos para uma grande equipe que definiu o jogo em quatro gols de forma fantástica. Houve uma pane e aproveitaram de uma forma que não deu para correr atrás", finalizou.

Leia tudo sobre: FelipãoScolariSeleção BrasileiraCopa do MundovexameAlemanha