Mesmo sem ingresso, ambulante colombiano vende mercadorias no Mineirão

Padilla diz que nunca foi incomodado pela fiscalização e só reclama da mão fechada do torcedor

iG Minas Gerais | Ana Paula Pedrosa |

Na avenida José Dias Bicalho, a caminho do Mineirão e já dentro da área Fifa, onde só deveria entrar quem tem ingresso, o colombiano Fred Padilla estendeu um pano no chão e vende tranquilamente camisas, bandeiras, chapéus e faixas do Brasil.

No país desde o início da Copa, ele viu sua seleção enfrentar a Grécia no Mineirão, em 14 de junho. Desde então, já esteve em dez das doze cidades-sede, sempre vendendo mercadorias com as cores do Brasil e das seleções que jogavam no dia.

Padilla diz que nunca foi incomodado pela fiscalização e só reclama da mão fechada do torcedor. "Os brasileiros preferem beber do que se vestir como sua seleção", lamenta. Segundo ele, os argentinos também não compraram muito e os colombianos foram os que mais gastaram.

Em seu país, Padilla trabalha em confecção. Aqui, comprou as mercadorias que revende em lojas de chineses. "São produtos ruins, mas são baratos", admite.

Leia tudo sobre: Copa do Mundofutebolesporteambulante