Bolsa segue mau humor externo e fecha dia mais curto em queda

Os investidores digeriram a notícia de que, após taxas expressivas até abril, a inflação mensal voltou a desacelerar em junho

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O principal índice da Bolsa brasileira acompanhou o mau humor visto nos mercados internacionais e fechou esta terça-feira (8) em queda pelo segundo dia. O pregão foi mais curto devido ao jogo entre Brasil e Alemanha pelas semifinais da Copa do Mundo.

A queda do Ibovespa foi de 0,31%, para 53.634 pontos. As negociações na Bovespa no mercado à vista tiveram fechamento antecipado para 14h30 (de Brasília), sem negociações no after-market (pregão estendido). Nesta quarta-feira, a Bolsa brasileira não abrirá devido ao feriado da Revolução Constitucionalista de 1932, em São Paulo.

Os investidores digeriram a notícia de que, após taxas expressivas até abril, a inflação mensal voltou a desacelerar em junho, mas não o suficiente para evitar que o acumulado em 12 rompesse o teto da meta estipulado pelo governo. O IPCA, índice oficial de preços do país, ficou em 0,40% em junho, segundo dados divulgados nesta terça-feira pelo IBGE.

"A inflação veio um pouco acima do previsto, mas o número foi razoável. Lá fora, o cenário foi negativo, com os investidores aproveitando o dia para vender ações e embolsar lucros. Aqui, isso também aconteceu, principalmente porque estaremos fechados amanhã, quando sai a ata da última reunião do Fomc [comitê de política monetária do banco central dos EUA]", diz João Pedro Bügger, analista da Leme Investimentos.

As ações da Gol Linhas Aéreas estiveram entre as principais perdas do Ibovespa no dia, com queda de 2,75% (a R$ 11,68 cada). O papel da empresa, segundo analistas, tem sofrido instabilidade diante da oscilação dos preços das commodities (matérias-primas) no exterior, que pode influenciar o custo com combustíveis de aviação.

Nesta terça, a Gol informou em nota que solicitou autorização para iniciar voos para as cidades de Altamira e Carajás, ambas no Pará. O pedido foi feito à Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) para operação em Carajás, com quatro frequências semanais, e Altamira, com três frequências semanais.

Na ponta positiva do Ibovespa, quem liderou foi o Banco do Brasil.

CÂMBIO

No câmbio, o dólar à vista, referência no mercado financeiro, teve desvalorização de 0,34% sobre o real, cotado em R$ 2,215 na venda. Já o dólar comercial, usado no comércio exterior, cedeu 0,40%, para R$ 2,215.

O Banco Central deu continuidade ao seu programa de intervenções diárias no câmbio, através do leilão de 4 mil contratos de swap (operação que equivale a uma venda futura de dólares), pelo total de US$ 198,6 milhões.

A autoridade também promoveu mais um leilão de 7 mil contratos de swap para rolar os vencimentos de 1º de agosto, por US$ 346,4 milhões. Até o momento, o BC já rolou cerca de 15% do lote total de contratos com prazo para o primeiro dia do mês que vem.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave