Nova lei permite o trabalho de crianças na Bolívia, diz jornal

Legalmente a atual lei proíbe que pessoas com menos de 14 anos trabalhem -e permite aos menores de idade que trabalhem apenas em ocupações que não façam mal à saúde

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

BBC/Reprodução
undefined

A Bolívia está prestes a aprovar uma lei que permite que crianças possam trabalhar legalmente. O projeto, que aguarda a sanção do presidente Evo Morales, estabelece regras que autorizam pessoas de dez a 14 anos a trabalharem.

Segundo o jornal "Guardian", a expectativa é que a nova lei seja confirmada pelo presidente até o fim dessa semana.

Legalmente a atual lei proíbe que pessoas com menos de 14 anos trabalhem -e permite aos menores de idade que trabalhem apenas em ocupações que não façam mal à saúde.

Apesar disso, o trabalho infantil é comum no país. As novas regras mantém a idade mínima de 14 anos, mas permite ao governo autorizar exceções.

Crianças entre dez e 12 anos são obrigadas a trabalhar de modo autônomo, mas acima disso elas poderão trabalhar para outras pessoas.

A Bolívia é membro da Organização Internacional do Trabalho, que permite o trabalho apenas para pessoas maiores de 14 anos. Entidades dos direitos humanos enviaram em janeiro uma carta para Morales contrária a lei.

"Se crianças de 12 anos tem permissão para trabalhar, elas vão perder a educação nos anos de formação de seu desenvolvimento e correm o risco de ficarem presos a tarefas repetitivas, destruindo suas habilidades e dificultando sua empregabilidade no futuro", diz a carta.

O sindicato que reúne os trabalhadores menores de idade da Bolívia participou da elaboração da lei.

Membro do sindicato, a adolescente Jenny Miranda, que começou a trabalhar aos seis anos, defendeu a nova lei ao "Guardian". "Nós queremos que a exploração acabe, mas nunca nosso trabalho, porque essa é nossa vida", disse ela a publicação".

Outro adolescente, Junior Pacosillo, que trabalha desde os nove, criticou a lei e defendeu que o governo invista para aumentar o emprego entre os adultos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave