Renúncias em cascata na Câmara de Felixlândia

Quatro vereadores desistiram de seus cargos na Mesa Diretora

iG Minas Gerais | Raquel Ayres |

Reuniões. Câmara de Felixlândia tem nove vereadores
Reprodução/Facebook/Portal Fel
Reuniões. Câmara de Felixlândia tem nove vereadores

Como num jogo de dominó em que uma peça tomba na outra, quatro dos nove vereadores da Câmara de Felixlândia, na região Central de Minas, renunciaram sucessivamente a seus cargos na Mesa Diretora da Casa. O primeiro foi o vice-presidente da Câmara, Wilian Adriano Ferreira de Sá (PSDB), no dia 2 de junho, alegando “razões de foro íntimo”. No dia 16 foi a vez do presidente da Casa, Genemi Pinto Barbosa (PTN), e um dia depois o segundo secretário, Deusdedith Ribeiro Leite (PRB), e a secretária, Vanderléia Apolinário da Silva (PV), deixaram seus postos.

Todas as renúncias aconteceram após a decisão da Justiça que determinou a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar denúncias de corrupção feitas pelo vereador de oposição Otacílio Guimarães Oliveira (PR) contra o prefeito Humberto Alves Campos, o Betão (PSDB), e o vereador Alex Quadros de Moura (PROS). A ordem judicial foi apresentada à Casa no dia 30 de maio.

Em reportagem de O TEMPO publicada em fevereiro, Otacílio entregou uma gravação em que Alex Quadros o teria oferecido R$ 10 mil, mais R$ 1.000 por mês, em troca da aprovação das contas da prefeitura referentes a 2008, rejeitadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). A tentativa de suborno teria sido feita sob a ordem do prefeito Betão.

De acordo com Otacílio Oliveira, “a intenção (dos parlamentares da base governista) é protelar ao máximo a abertura dos trabalhos da CPI”. “Tenho documentos que comprovam que o Genemi recebeu recentemente do prefeito uma placa de taxi. A Câmara está inadimplente com o Tribunal de Contas e ninguém consegue ter acesso aos valores”, disse.

Os vereadores que renunciaram, todos da base do prefeito, apresentaram motivos que não se relacionam com a CPI. A princípio nervoso ao telefone, Willian de Sá alegou razões pessoais para desistir da vice-presidência. “Mas não renunciei ao meu cargo de vereador”, fez questão de explicar.

Já Vanderléia afirmou que “não havia como ficar na Mesa sozinha”, uma vez que os outros integrantes haviam renunciado.

Sem presidente, quem assumiu a Mesa Diretora foi o vereador mais velho, José Alberto Mendes (PSC), 61. Segundo ele, o então presidente da Casa não estava conduzindo a instalação da CPI de forma correta. “Ele não colocou prazo para encerrar a CPI, o que deveria ter sido feito”, explicou.

Otacílio Oliveira afirma que os quatro vereadores que renunciaram sequer estão aparecendo na Casa para votar. “Nenhuma votação mais acontece por falta de quórum”, disse, ressaltando que, ontem, apenas ele e José Mendes estavam na Casa.

Sem resposta

Outros. A reportagem tentou contato com o vereador Genemi, que mora em uma comunidade sem acesso a telefone. Já o vereador Deusdedith não foi localizado ontem pela reportagem.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave