Para treinador alemão, ausência de Neymar pode incentivar o Brasil

Low também comentou ausência de Thiago Silva Silva, suspenso, e a entrada de Dante na defesa brasileira

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

Comandante alemão afirmou que missão deles não ficou 'mais fácil' sem o camisa 10 brasileiro
Reprodução Facebook
Comandante alemão afirmou que missão deles não ficou 'mais fácil' sem o camisa 10 brasileiro

O treinador da seleção alemã, Joachim Löw, disse que a ausência de Neymar pode incentivar os jogadores brasileiros na semifinal da Copa do Mundo.

"Os golpes geralmente despertam forças adicionais", disse o técnico de acordo com publicação no site da Federação Alemã de Futebol (DFB). "Ninguém deve imaginar que a nossa tarefa se tornou mais fácil com a ausência de Neymar, pelo contrário", acrescentou.

Além de Neymar, que sofreu uma fratura na terceira vértebra do lado esquerdo, o zagueiro Thiago Silva recebeu o segundo cartão amarelo na partida contra a Colômbia, pelas quartas de final, e também vai desfalcar o Brasil no jogo contra a Alemanha. Mas Löw fez questão de ressaltar a qualidade dos jogadores reservas da seleção brasileira.

"Para os brasileiros é lamentável ter que se apresentar sem dois de seus melhores jogadores, mas eles vão saber compensar", disse Löw. "A suspensão de Thiago Silva mostra o tamanho da seleção. [Luiz] Felipe Scolari poderá trazer jogadores como o Dante, e eu não consigo ver uma perda de qualidade", considerou.

O treinador da Alemanha também expressou solidariedade com Neymar e o desejou uma rápida recuperação.

"É um grande jogador, sua lesão é dolorosa e uma grande falta de sorte para ele, para a sua equipe, para toda a nação", afirmou Joachim Löw. "Espero que ele possa estar de volta nos campos o mais rápido possível e que ele possa superar este revés. Em uma Copa do Mundo, queremos ver os melhores jogadores, e os jogadores também querem competir sempre com o melhor", concluiu.

Já o volante Schweinsteiger, da Alemanha, disse em entrevista coletiva no domingo (6), que o maior perigo brasileiro é a comissão técnica, e que a seleção de Luiz Felipe Scolari tem jogado "no limite do que se considera legal" numa partida de futebol, com muita dureza, força física e jogadas ríspidas.

Brasil e Alemanha se enfrentam na terça-feira (8), no Mineirão, em Belo Horizonte, às 17h.