Quadrilha de ingressos fez mais de 900 ligações a celular da Fifa

Em apuração da Polícia, foram descobertas quase mil conversas entre máfia que vendia ingressos da Copa para um número oficial da entidade máxima do futebol

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O franco-argelino Mohamadou Lamine Fofana, acusado de participar de uma quadrilha que vendia ingressos de Copa do Mundo desde 2002, ligou mais de 900 vezes para um celular oficial da Fifa. A informação, divulgada por Polícia e Ministério Público e exibida no programa “Fantástico”, é mais um passo no objetivo de desvendar o esquema milionário, que já teve envolvidos os nomes de conhecidos do futebol brasileiro, como Dunga, Júnior Baiano, o pai de Neymar e até mesmo Assis, o irmão de Ronaldinho Gaúcho.

Outras informações recentes obtidas pela Polícia ainda dão conta que já estão perto de descobrir quem será o líder da máfia.

O “Fantástico” também exibiu conversas em que um dos envolvidos no esquema, Sérgio Antônio de Lisboa, fazia tentativas de suborno aos agentes da polícia, bem como trechos de ligações em que Fofana diz que tem “mais de 50” ingressos para a final da Copa deste ano.

“Quem tem 50 ingressos para a final na mão? Eu tem, eu tem”, diz ele, com sotaque acentuado.

Em uma conversa com o irmão de Ronaldinho, a Polícia descobriu que o franco-argelino pretendia realizar uma festa em um apartamento alugado para ele na Barra de Tijuca. Nela, diversos ex-campeões e outros empresários e jogadores estariam presentes, o que levantou as suspeitas de que eles pudessem estar envolvidos com a quadrilha.