Kirchner usou aviões para levar malas de dinheiro, diz jornal

"Clarín" publicou uma reportagem na qual afirma que durante o governo de Néstor Kirchner uma empresa de táxi aéreo foi criada para transportar notas para seu Estado natal

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Associated Press
undefined

O jornal argentino "Clarín" publicou uma reportagem na qual afirma que durante o governo de Néstor Kirchner uma empresa de táxi aéreo foi criada para transportar malas de dinheiro de Buenos Aires ao Estado de Santa Cruz --a região é o principal reduto da família Kirchner.

No ano passado, uma ex-secretária da Casa Rosada, sede da presidência, relatou ter visto as malas de dinheiro. Miriam Quiroga afirmou em uma entrevista ter visto Muñoz com uma mala cheia de "verdes". Ela disse ainda que escutou o assessor falar que as notas "estavam bem contados pelo chefe". Abriu-se, então, uma investigação para averiguar o caso.

Segundo o "Clarín", o promotor Ramiro González tem uma fonte anônima que lhe disse que a empresa Aires Argentinos servia para transportar o dinheiro e ocultar as viagens.

A Aires Argentinos teria sido criada em 2008 a pedido de Daniel Muñoz, secretário particular do ex-presidente. Néstor Kirchner morreu em 2010.

Muñoz seria o verdadeiro dono da empresa, mas usaria laranjas, segundo a acusação.

A matéria diz que Néstor, Cristina Kirchner e seus dois filhos teriam usado frequentemente os aviões da empresa.

O promotor González pediu a quebra de sigilos da empresa aérea, mas a autorização não deve ser dada até as próximas duas semanas pois o juiz do caso está de licença.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave