Casal é assassinado e corpos são jogados em cisterna de Esmeraldas

Segundo populares, vítimas seriam usuárias de drogas; suspeito do crime, que já teria matado um militar do Corpo de Bombeiros, e o amigo foram presos

iG Minas Gerais | CAROLINA CAETANO |

A Polícia Civil vai investigar a morte de um casal que foi assassinado em Esmeraldas, na região metropolitana de Belo Horizonte. Os corpos foram encontrados na noite desse domingo (6) dentro de uma cisterna na mesma rua em que as vítimas viviam. Dois suspeitos do crime foram presos.

De acordo com a Polícia Militar, um homem identificado apenas como João, aparentando 45 anos, e uma mulher de nome Maria, aparentando 33, foram localizados após denúncias anônimas. Militares do 40º Batalhão foram até a rua Dois, no bairro Bandeirantes, e encontraram uma cisterna com muito lixo em cima e fogo.

“Achamos a situação suspeita e acionamos o Corpo de Bombeiros. Após algum tempo de trabalho, a equipe encontrou os corpos, que estavam em estado avançado de decomposição. Eles estavam na cisterna há aproximadamente cinco dias”, contou o soldado Álvaro Fernando de Oliveira.

O local em que João e Maria foram jogados fica a 50 metros do imóvel em que eles viviam. Policiais foram até o imóvel e encontraram as paredes sujas de sangue e um projétil de uma pistola 380.

“Enquanto estávamos na região recebemos informações de moradores que o autor do homicídio seria um homem conhecido pelo nome de Adriano, e que as vítimas seriam usuárias de drogas. Fizemos rastreamento na área e encontramos o suspeito na casa de um amigo”, explicou o soldado.

Luiz Adriano Pereira, de 26 anos, negou participação no crime. Ele estava na casa de Bruno Nilandi Cordeiro, de 24, que também afirmou desconhecer o caso. Pereira é conhecido no meio policial pelos crimes de furto, estupro, tráfico de drogas, porte ilegal de arma e homicídios, inclusive de um militar do Corpo de Bombeiros.

Perícia esteve no local do crime e constatou que João e Maria apresentavam diversas perfurações nas cabeças provocadas por arma de fogo. Além disso, a mulher tinha cortes no crânio que, provavelmente, foram provocados por uma picareta.

Ainda conforme populares contaram à polícia, o casal morava sozinho. Depois do duplo homicídio, ainda segundo moradores, alguns móveis das vítimas foram furtados e outros, de menor valor, jogados em um lote vago.

A ocorrência foi encerrada na Delegacia de Plantão de Esmeraldas.  

Leia tudo sobre: ESMERALDASCISTERNACASALHOMICÍDIOS