Insatisfação amplia índice de renovação

iG Minas Gerais | Flávia Carneiro |

A insatisfação da população com a classe política tem refletido no número de parlamentares que conseguem se reeleger em Belo Horizonte. Na última eleição para a Câmara, em 2012, apenas 19 dos 41 se reelegeram, apontando um índice de renovação de 54%. O número é maior do que o registrado no pleito anterior, em 2008, quando ficou em 39%.  

Com 11.950 votos, o campeão nas urnas, há dois anos, foi o novato Bispo Fernando Luiz (PSB), da Igreja Universal. O último que conseguiu se eleger, vereador Elvis Cortês (PSDC), obteve 3.537 votos.

Na Assembleia, a situação foi diferente até 2010, última eleição legislativa estadual, quando a insatisfação com a classe política ainda não estava tão evidente. O percentual de renovação diminuiu.

Na eleição de 2010, a Assembleia contou com 28 novos deputados, ou seja, um índice de renovação de 36,36% – número mais baixo do que o registrado nas duas eleições anteriores. Em 2006, foram 31 novos deputados, renovação de 40,1%. Já em 2002, foram 36 novatos, percentual equivalente a 46,75%.

Em 2010, dos 77 deputados estaduais, 65 foram candidatos à reeleição e 49 deles reeleitos, percentual de permanência equivalente a 63,63%, índice considerado alto. 

Uma derrota

Brasília. Em 2010, oito deputados de Minas se candidataram à Câmara Federal e apenas um não conseguiu se eleger, Rui Muniz (DEM), que depois foi eleito prefeito de Montes Claros.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave