Festival será anual e vai ter programa especial no rádio

iG Minas Gerais | LUCAS SIMÕES |

Patrícia Palumbo vai levar show do Vozes do Brasil a outras cidades do país
Diego Ciarlariello/divulgação
Patrícia Palumbo vai levar show do Vozes do Brasil a outras cidades do país

Desde 1998, pelo estúdio da rádio Musical FM, em São Paulo, passaram nomes como Adriana Calcanhotto, Ed Mota, Tom Zé, Cássia Eller, Arnaldo Antunes, Chico César, Rosa Passos, entre tantos outros transmitidos pelo programa “Vozes do Brasil”. “Eu herdei o horário das 19h no rádio, que era coincidente com ‘A Voz do Brasil’, aí fizemos essa brincadeira com os nomes: era um lance de no lugar de apresentar só uma voz com notícias, trazer várias vozes com muitas músicas”, diz Patrícia Palumbo, idealizadora do atração. A principal ideia era fazer um programa descontraído, em que artistas consagrados e talentos recentes podiam expor dilemas criativos, pensamentos e formas novas de fazer música brasileira.

Expoente da nova geração, o compositor Marcelo Jeneci, hoje com dois álbuns lançados e bem recebidos pela crítica – “Feito pra Acabar” (2010) e “De Graça” (2013) –, lembra que subiu ao palco do Sesc Paulista para um dos primeiros pequenos shows produzidos pelo “Vozes do Brasil”, sem ter ao menos um disco lançado. “Eu sempre fui fã da iniciativa. Ouvia em casa esperando ser surpreendido. É a proposta de misturas, de estar atento a artistas que procuram caminhos novos. Nesse show, fazia frio, mas o público estava animado. Lembro que ‘Amado’ já fazia sucesso na voz da Vanessa (da Mata), mas ninguém me conhecia. Aquilo foi importante para o início da minha projeção”, diz.

No mesmo dia, Anelis Assumpção, filha do compositor Itamar Assumpção, também se apresentou no Sesc Paulista com frio na barriga. É que à época, ela estava acostumada a se manter atrás dos principais músicos no palco, como apoio da banda do pai, em shows por algumas cidades do país. “Eu fazia backing vocal, mas não tinha segurança para cantar como solista, coisa que só fiz em 2007. A diferença é que tive oportunidade de subir ao palco e me ver como cantora. Ali provei que podia ser intérprete”, avalia.

Com a realização oficial do primeiro Festival Vozes do Brasil em Belo Horizonte, a ideia é montar, a partir de agora, uma série de shows anuais que devem passar, inicialmente, pelas nove cidades onde o programa de rádio é transmitido semanalmente: Aracaju, Rio de Janeiro, Santos, São Paulo, Salvador, Curitiba, Belém, Brasília e Belo Horizonte (pela rádio Inconfidência FM, às terças, das 22h às 23h). “Em cada edição, vamos trazer artistas de distintas gerações, que oferecem combinações novas. Se tudo der certo, a intenção é levar o festival para cada vez mais cidades. Porque ver um show é diferente de ouvir no rádio ou em um CD: é o complemento do som, a proximidade para captar a obra do artista”, diz Patrícia.

Além disso, após os shows na capital mineira, entre 8 e 12 de julho, os registros de duetos de Karina Buhr e Marina Lima, Anelis Assumpção e Zélia Duncan, Paulinho Moska e Pedro Morais, Marina Machado e Marcelo Jeneci, e Ana Cañas e Flávio Renegado, serão transmitidos em cinco programas especiais, que devem estrear no próximo dia 13 de julho.

Os shows também serão filmados, mas a organizadora do festival ainda não confirma o lançamento de algum registro em DVD. “Estamos discutindo o formato dos programas relativos aos shows do festival. Talvez aconteça a participação dos artistas comentando as apresentações, mas o certo é que as canções em duetos inéditos, como Ana Cañas e Flávio Renegado, vão ser gravadas em alta qualidade para o público. Sobre um DVD é algo que não posso precisar porque é mais complicado.”

Agenda

O quê. Festival Vozes do Brasil

Quando. De terça-feira a sábado, às 21h

Onde. Teatro Oi Futuro Klauss Vianna (Av. Afonso Pena 4.001, Mangabeiras – BH)

Quanto. Acesso gratuito (ingressos distribuídos uma hora antes de cada show)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave