Falso pastor finge sequestro após trocar carro por drogas

Homem afirmou que teria sido sequestrado por quatro homens e acabou detido por falsa comunicação de crime; ficou provado que ele passou a noite usando drogas com prostitutas

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

Quatro pessoas foram parar na delegacia, na tarde deste domingo (6), após um homem se passar por pastor e alegar que teria sido sequestrado e tido o carro roubado durante a madrugada, no Centro de Belo Horizonte. Após localizarem o veículo, policiais descobriram que a "vítima", na verdade, teria trocado o carro por drogas e passado a noite em uma casa de prostituição. 

Segundo as informações do sargento Fabrício Breder, da 6ª Companhia do 1º Batalhão da Polícia Militar (PM), Renato Rodrigues Silva, de 30 anos, teria procurado a corporação na manhã desde domingo alegando que estava no Centro na noite de sábado (5) quando foi abordado por quatro homens, um deles armado. 

"Ele afirmou que teve os olhos vendados e que foi forçado a sacar dinheiro na rodoviária. Ele teria ficado a noite toda sob a mira de um revólver e teoricamente só foi libertado por volta das 9h na esquina da avenida do Contorno com a rua Rio de Janeiro", explicou o militar. 

Com base nestas informações, os policiais foram informados de que o Chevrolet Corsa do suposto pastor havia sido visto pelas câmeras do Olho Vivo na Pedreira Prado Lopes, na região Nordeste da capital. "Abordamos o casal Marcília Carvalho Ribeiro dos Santos e Marcelo Silva Félix, que alegou que um outro indivíduo no Centro teria repassado o veículo para eles", contou o sargento Breder. 

Outro lado

De posse das informações, os policiais chegaram até Michael Batista, de 30 anos, que deu uma nova versão para toda a história. "Ele alegou que o falso pastor passou o carro para ele em troca de drogas. Que ele teria passado a noite fazendo uso de drogas com prostitutas em uma casa na rua Guaicurus. A partir daí, Silva passou a entrar em contradição e acabou confessando", relatou o militar. 

A PM chegou a ir até a casa de prostituição, onde as garotas de programa confirmaram que ele teria passado a noite no local com Batista, fazendo uso de drogas. Com isso, os quatro foram conduzidos para a delegacia de plantão do Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran/MG). 

O falso pastor será indiciado por falsa comunicação de crime e o casal por interceptação. Batista foi detido sob suspeita de roubo e por posse de drogas, uma vez que uma pedra de crack foi encontrada com ele. 

Leia tudo sobre: FALSO PASTORPROSTITUTAS