Kaká fala em fim de ciclo com a camisa amarela

Meia foi apresentado para a torcida do São Paulo, no Morumbi

iG Minas Gerais | FOLHAPRESS |

RODRIGO CLEMENTE
undefined

Camisa 10 da seleção brasileira na Copa de 2010, na África do Sul, e nem sequer convocado para o Mundial deste ano, no Brasil. O meia Kaká diz que não está frustrado, mas admitiu neste domingo (6) que o ocorrido é um indício de que seu ciclo pela equipe nacional tenha terminado. "Sempre é difícil falar sobre isso. Não fiquei frustrado por não ter sido convocado. Digo isso com sinceridade. Mas sobre o término da minha passagem pela seleção só vou saber mais para frente. A princípio é um indício que meu ciclo encerrou", disse o meia neste domingo (6), no Morumbi.

Apresentado como reforço do São Paulo hoje, o jogador também explicou porque não ficou frustrado ou chateado por não disputar a Copa do Mundo no Brasil."Não foi uma frustração não ter sido convocado porque fiz tudo o que eu podia. Desde a minha saída do Real Madrid até minha ida para o Milan, quando recuperei minha alegria de jogar e permitiu que eu lutasse por uma vaga na seleção. Mas o Felipão fez as suas escolhas. Não estou frustrado. Espero que o Brasil seja campeão", disse.

Kaká fez 37 jogos pelo Milan na temporada 2013/14, com nove gols e oito assistências. Foi um dos melhores do time, mas a equipe decepcionou. Ficou na oitava colocação e não se classificou para nenhum torneio europeu.

Kaká também palpitou sobre a lesão sofrida por Neymar e recordou até de uma situação parecida na sua vida. O craque do Barcelona fraturou a terceira vértebra lombar no jogo da última sexta (4), quando o Brasil venceu a Colômbia por 2 a 1 e avançou a semifinal. O camisa 10 da seleção não vai mais disputar a Copa.

"Como todo amante de futebol, fiquei triste com a saída de Neymar. O Brasil ficou triste. Essa saída do Neymar é um ponto negativo pelo aspecto do talento e da técnica, mas espero que os jogadores da seleção possam usar isso como motivação nessa reta final de Copa do Mundo", avaliou.

"Esse tipo de lesão é uma situação única, só o jogador sabe o que passa na cabeça. Eu sofri um lesão na sexta vértebra cervical. Ainda não era profissional, mas cheguei a temer não poder mais jogar. É difícil", disse.

A lesão de Kaká ocorreu em setembro de 2000. Ele se machucou ao usar um toboágua em um parque em Calda Novas-GO. Chegou a bater a cabeça no fundo da piscina, levou pontos na região, mas só descobriu a lesão na coluna após se queixar de dores nos treinos do time de juniores, alguns dias após o acidente.

Kaká teve de usar colete cervical por cerca de dois meses, sem treinar e quase abandonou o futebol por conta da fratura. Ele ainda tinha 18 anos e não havia atuado pelo time profissional do São Paulo.

Sobre a campanha do Brasil na Copa, Kaká disse que está na torcida pelo título e até apostou em uma final. "Gostei de ver quatro forças [Brasil, Alemanha, Holanda e Argentina] na semifinal. Aposto em final Brasil X Argentina. Mas prefiro não arriscar um placar [risos]. A seleção está conseguindo os resultados, estou na torcida", disse Kaká.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave