Banho gelado, muita estrada e só macarrão

iG Minas Gerais | Giselle Ferreira |

Hermanos. Os argentinos também ficaram acampados em BH
JOAO GODINHO / O TEMPO
Hermanos. Os argentinos também ficaram acampados em BH

Nem tudo é festa para quem decide cair na estrada com um motor-home. O hileno Carlos Marras, 28, contou que passou por todas as cidades onde a seleção de seu país jogou.  

“É a primeira vez que viajamos para tão longe, e eu acho difícil ficar no motor-home porque não consigo dormir em movimento. A princípio, imaginamos que o Brasil ia ser só praia e festa, mas a realidade é: estrada, estrada, estrada. Banho gelado e mais estrada. No começo a gente se empolga, mas depois tem que ficar cozinhando macarrão no fogareiro no camping”, afirma.

Gonzálo Vial, 22, pegou o motor-home emprestado do primo. “Saímos de Santiago direto para Cuiabá. Passamos por Brasília, Rio de Janeiro, São Paulo e agora BH. Já são 22 dias de viagem e mais ou menos 10 mil km. Viajar em motor-home é levar uma vida mais simples e hippie”, disse antes de deixar a capital mineira.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave