Minério da Vale protege a empresa do preço baixo

Mineradora detém o produto de melhor qualidade do mundo

iG Minas Gerais |

Confiança. Especialistas do BTG Pactual continuam recomendando a compra de ações da Vale
Vale/Divulgação
Confiança. Especialistas do BTG Pactual continuam recomendando a compra de ações da Vale

São Paulo. O atual cenário do minério de ferro acendeu o sinal amarelo em torno dos negócios das mineradoras. No entanto, a Vale é vista como a empresa do setor mais protegida em relação à redução dos preços e só uma queda mais brusca afetaria de fato a lucratividade da brasileira. Por ser detentora do minério de melhor qualidade do mundo e dona do título de mineradora de mais baixo custo, a companhia está em melhor posição competitiva em relação aos concorrentes, embora o preço mais baixo já esteja batendo em seus dados financeiros.

Neste ano, o minério acumula perdas de 28%. “Quando os preços do minério de ferro caírem a ponto de atingir a Vale de fato, todas as outras mineradoras do mundo já terão sido impactadas muito antes”, disse o consultor da J.Mendo, José Mendo de Souza. Neste ano, o preço do minério de ferro registrou a mínima em quase dois anos, batendo US$ 89 a tonelada no mercado à vista chinês no mês passado.

Segundo cálculos do UBS, o ponto de equilíbrio (break even point) do preço do minério para a Vale, ou seja, valor que separa a atividade lucrativa daquela que gera perdas, é de US$ 68 a tonelada na China. “A Vale é muito lucrativa com o minério em US$ 100 a tonelada”, afirma o analista do banco suíço Andreas Bokkenheuser.

Embora os preços estejam neste momento um pouco abaixo desse valor, a previsão é de que fiquem em torno de US$ 100 neste terceiro trimestre, segundo especialistas. “Acreditamos que os preços serão suportados ao longo das próximas quatro a seis semanas devido à atividade sazonal da construção na China”, afirma Bokkenheuser.

Em relatório recente, o BTG Pactual destacou que, na sua visão, o preço médio para este ano ficará em US$ 105 a tonelada, mesmo valor projetado para 2015. Para o longo prazo, iria para US$ 90. “Em nossa opinião, a única razão para reduzir (ações) da Vale é se os preços caírem em torno de US$ 80, um cenário que consideramos improvável”, dizem os analistas Leonardo Correa, Luiz Fornari e Antonio Heluany.

A recomendação do BTG Pactual para as ações da Vale é de compra. Os analistas do BTG destacam que a maioria da indústria de minério de ferro ficaria em grande pressão com os preços no patamar de US$ 80 a tonelada do produto.

Mineradoras colocam mais 100 milhões São Paulo.As quatro maiores mineradoras do mundo irão adicionar uma oferta de 100 milhões de toneladas por ano no mercado internacional até 2015. Há, porém, cautela no mercado com a atividade econômica chinesa. Mas, de janeiro a maio, a produção de aço ainda registrou alta na relação anual. A Associação Mundial do Aço mostra que a produção de aço na China subiu 2,7% nos cinco primeiros meses do ano, para 342,519 milhões de toneladas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave